segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Um presente envenenado

O Governo quer acabar com a reforma compulsiva aos 70 anos na Função Pública.
À partida parece uma boa medida,pois não é justo obrigar  pessoas que querem continuar a trabalhar depois dos 70 a reformarem-se.
Só que esta "generosidade "do Governo é um presente envenenado e palpita-me que é apenas uma habilidade para alargar rapidamente a idade da reforma até aos 70anos.

5 comentários:

  1. O último parágrafo do texto diz tudo, Carlos.
    Boa semana, um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Se assim for, mais jovens sairão do país porque será mais difícil ainda encontrar um emprego.
    Durante anos os professores podiam substituir quando se reformavam. Entretanto os recém-formados tinham dificuldade em encontrar um cargo efetivo. Substituiam 3, 4 anos e estavam extremamente frustrados. Há uns 3 anos quem se reforma... fica reformado do ensino!! Mais vagas para os mais jovens! Já não era sem tempo. : )

    ResponderEliminar
  3. É um pau de dois bicos.
    Os mais velhos a trabalhar e os mais novos a passear
    enfim.
    Abraço

    Hoje em Caminhos Percorridos - Resposta soberba...

    ResponderEliminar
  4. Acho que não Carlos. Antes isso do que rebentar com o sistema. O que se fala é que cada um se reforme com o tempo de serviço que tiver e apenas com a reforma a que tiver direito e mediante certas condições. Todas as reformas até há bem pouco tempo tinham grandes suplementos, porque se fossem calculados de acordo com os descontos não eram nada. No tempo do graveto publicou legislação em que uma pessoa com três anos de inscrição e uns poucos dias por ano podia reformar-se, em especial para beneficiar muitos retornados e para limpar as Finanças. Até os funcionários públicos que se quisessem reformar tiveram um bónus no cálculo da reforma de 20% (aqui com o Cadilhe como ministro).
    Há muito saber acumulado na experiência que os jovens hoje nem querem saber. Se os especialistas enquanto a operar não têm tempo de ensinar os novos, que fiquem depois para instruir os jovens. Até no Parlamento devia haver uma Câmara de Senadores que nos honrassem com o seu saber. Se por exemplo a SSocial está com os atrasos que está foi porque se reformaram antecipadamente dos melhores técnicos que havia, por causa das penalizações. E hoje não há ninguém que os substitua, porque já não há quem tenha esse saber, nem os cursos específicos que foram sendo dados ao longo dos anos. Conheci pessoas que só se reformaram aos 70 anos, quando o podiam ter feito aos 56 só por amor ao próximo. As reformas eram por inteiro na altura. Havia pessoa que tinham muito mais despesas por continuarem a trabalhar. Mas os jovens de hoje não sabem o que isso é!
    Esta foi uma das primeiras medidas que a DITADURA MILITAR. chefiada por Óscar Carmona, instalada em 1926, ao promulgar esta lei para fazer todos os saneamentos políticos que queria, com a promulgação do decreto de 24.07.1926. Se soubesse um pouco também sabiam que, mesmo assim, 70 anos em 1926 equivalem a quase 90 hoje em 2018, quase um século depois.
    Há quem critique esta lei e esteja em funções públicas a ganhar muito bem e já tem mais de 70 anos, não falando evidentemente dos jovens que se querem ver livres da peste grisalha!
    Ainda agora foi obrigado a aposentar-se o melhor cirurgião cardio-toráxico, que tanta falta faz. Há tanto saber acumulado em quem está de boa mente e corpo são!

    ResponderEliminar