segunda-feira, 4 de junho de 2018

Juramento de Hipócrates?

A médica  assistente recomendou-me que fosse a uma consulta de cardiologia com  urgência. Indicou-me o médico e escreveu uma carta com  algumas indicações sobre a minha situação clínica.
Telefonei para o consultório esclarecendo a situação e  tive o cuidado de esclarecer que era um doente convencionado. 
Apesar de ter sublinhado várias vezes a urgência, a consulta ficou marcada para o dia 3 de Julho. 
Hoje disse à médica , que disse não poder esperar tanto tempo.
Chegado a casa telefonei para o consultório para marcar uma consulta. Não me dei a conhecer, nem esclareci que era um doente convencionado. 
A consulta foi marcada para a próxima quarta feira, dia 6 de Junho.
Juramento de Hipócrates? Está bem, senhor doutor. 

7 comentários:

  1. Lido por aí esta reflexão interessante:

    "De Hipócrates à hipocrisia

    A saúde é, hoje, uma caixa-preta a ser aberta pelos médicos que honram o juramento de Hipócrates e pacientes inseguros que querem defender-se das hipocrisias. Ela guarda as duas faces perversas de um mesmo negócio: a deriva da medicina de mercado e o mito da saúde perfeita. Em todos os sentidos, ambos nos custam caríssimo." (R. Darcy de Oliveira)
    Abraço,Carlos

    ResponderEliminar
  2. Caro Carlos, é alguma novidade que os doentes são etiquetados?
    Cada vez mais se percebe que a vontade de sobrepor o privado ao público é enorme. Tudo, devidamente acompanhado com a vontade de acabar com o SNS.
    E o Estado permite. Em certas situações, até fomenta.
    Perdoará mas apetece-me chamar-lhes filhos da p***!!!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Gee!!
    O sistema de saúde também não era o que costumava ser (aqui). Está a ficar bastante dificiente.
    Quem contacta os especialistas são os médicos de família através de uma carta (referral) que também indica se o caso é urgente. O paciente aguarda pela chamada do especialista indicando a data da consulta.
    Suponho que o Carlos irá mencionar isso ao médico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Refiro-me ao tempo de espera inicial, claro.

      Eliminar
  4. Isso é simplesmente revoltante.
    É a saúde das pessoas, porra!!

    ResponderEliminar
  5. Sempre assim foi Carlos! Se se diz que é convencionado, muitas vezes no meio de um ano já não há consultas até ao fim do ano. Depois com a concorrência melhorou um pouco. Na do a ser seguida por um gastro, em que a última consulta já foi desmarcada três vezes. Já devia ter sido, mas agora está marcada para 11/07. No caso de especialistas, muitos deles nem têm acordos. A minha dermatologista não tem acordos com ninguém e marca normalmente, só para depois de seis meses. Até tive de recorrer entre as marcações a uma consulta também privada na CUF de Cascais, onde o resultado do exame da biopsia se perdeu. em que só soube o resultado da mesma feita em Abril e que me deram mais uma novidade em Agosto, e foi uma enfermeira que veio de férias e estava a rever o ficheiro. Entretanto chegou a consulta da minha que lhe mandou uma carta a uma sujeita que tinha sido aluna dela, e que me atendeu a correr, eaté esperar-me aos corredor, começou logo a apalpar-me os gânglios, quando eu ia só para me ser entregue o resultado da análise, cujo resultado eu já sabia. Já não há um médico em que eu acredite, se não for um da velha escola. mesmo assim eu estou mais informada sobre medicamentos...

    ResponderEliminar