sábado, 19 de maio de 2018

O leitor decide




Uma destas fotos foi tirada há duas semanas,durante a queima das fitas de Coimbra.
A outra foi tirada  em Abril, num parque de estacionamento em Lisboa, onde alguns turistas decidiram repousar. 
Gostaria de saber qual destas  vos deixa mais perplexo ou indignado. 
Nenhuma delas? Óptimo, caro leitor. Está pronto a ir viver para a selva.

22 comentários:

  1. Eu já vivo na selva, Carlos, na selva virtual.

    Na primeira fotografia, o corpo deitado no chão não é de certeza de nenhum estudante (demasiada gordura). Na minha opinião, é de um turista espanhol.

    😚😚

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É de um estudante e de Medicina, Teresa! Não vê as parecenças dele com o Vasco Santana na Canção de Lisboa? Pelo menos em gordura são parecidos. A diferença é que VS tinha piada e este monstrinho mete dó

      Eliminar
  2. Que horror! Nem uma nem outra! Ao que chegámos!
    =)

    Bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Não fazem parte da minha forma que gosto de repousar 😏

    Bom fim de semana Carlos, um beijinho 😘

    ResponderEliminar
  4. Hmmmm
    As turistas, pobres turistas, devem ser do norte da Europa (também podem ser da região norte do Canadá (duvido) ou até da Rússia), onde o clima é frio o ano inteiro. Vieram a Lisboa e não souberam como enfrentar o calor lisboeta. Para evitar um caso de hipertemia, decidiram dormir nuas. O calor toldou-lhe o discernimento entre o legalmente aceitável e não aceitável. Se for caso de golpe de calor, concluo que é um desrespeito pelas leis portuguesas. Os senhores guardas onde estavam?
    Quanto à primeira foto, o que há a lamentar? O lixo no chão? O homem no chão? Ou ambos? O que faz o álcool!! Talvez já esteja (eu) a fazer um julgamento sem saber a razão da posição horizontal no passeio do indivíduo.
    Ora diga lá, Carlos.
    Eu não vivo na selva nem estou interessada em viver no caos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei da análise, Catarina. Em relaçáo aos turistas sõ, de certeza, do Norte da Europa, pois qualquer país europeu (excepto Espanha) fica a norte de Portugal:-)
      Quanto ao jovem estudante, foi nitidamente derrubado por Baco
      Finalmente, os senhores guardas... bom... não estão autorizados a incomodar os senhores turistas, porque temos de os tratar bem a todos e dar-lhes a ideia de que somos muito compreensivos, permissivos e...PALERMAS PROVINCIANOS.

      Eliminar
    2. Leu bem o que eu escrevi?!!! “norte da Europa” não a norte de Portugal... I know, I know... you were kidding! : ))))

      Eliminar
  5. "Se for caso de golpe de calor..." - leia-se " Se não for um caso de golpe de calor..."

    ResponderEliminar
  6. Gostaria de ver turistas portugueses fazerem o mesmo nos países de onde estes vieram. Mas só temos de agradecer pelo aumento do turismo em Portugal e do preço das habitações temporárias e já agora permanentes.
    Quanto aos estudantes é normalíssimo, apenas um pouco mais bácoro. todos os fins de semana também se observam cenas semelhantes às portas das discotecas e bares.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ando a tomar balanço para escrever uns post sobre os Prós e contras do turismo.

      Eliminar
  7. Eu penso que já vivemos na selva há muitos anos, Carlos. Da repressão do fascismo passamos para a permissão de todas a libertinagem. Ou como diria a minha avó, do 8 ao 80.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas que confundem democracia com fazer o que lhes dá na real gana. Isso é mau para a própria democracia.Especialmente num país de brandos costumes como Portugal. Bom fds, Elvira.Abraco

      Eliminar
  8. Estamos quase a chegar à Idade da Pedra, Carlos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Óptimo estarmos quase a chegar à Idade da Pedra, António, então, não temos nem estudantes, nem turistas.

      Eliminar
    2. A grande velocidade, António
      Turistas sempre houve, Teresa. Pelo menos desde a Idade da Pedra:-)

      Eliminar
  9. Uma deixou-me perplexo, outra indignado.

    A que começou por me deixar indignado, levantou uma questão perplexa - fico indignado ou perplexo?

    A outra que me trouxe perplexidade, face á moral e bons costumes, depois deixou-me indignado pela forma perplexa como as autoridades agem perante acções indignas, conforme sejam indígenas ou forasteiras.

    E aqui estou eu, balançando entre a perplexidade e a indignação.

    ResponderEliminar
  10. Nem vale a pena comentar para não ser mel educado.

    ResponderEliminar