segunda-feira, 7 de maio de 2018

Foi bonita a festa pá...




Há precisamente 40 anos eu atravessava o Atlântico para vir comemorar a conquista do Campeonato.
Era a primeira vez que festejava o título ( o último fora conseguido quando eu tinha apenas 9 anos) e,  por isso, justificava-se voar de Washington ao Porto para assistir ao jogo da consagração no velho estádio das Antas.

Nunca esquecerei esse dia, que durante muitos anos apenas equiparei à alegria sentida com a conquista da Taça dos Campeões Europeus ( nesse dia de Maio de 1987 voei ,mas baixinho, desde Braga ate ao Porto) e, posteriormente, da Liga dos Campeões Europeus ( que festejei em Lisboa, surpreendido com  o mar de gente na Av da República). 
Equiparo a conquista ontem alcançada a esses extraordinários êxitos internacionais. Não só pelo simbolismo da vitória, mas também porque pela primeira vez nos últimos 30 anos o FC do Porto não partia como candidato. Todos os analistas lembravam que o FC do Porto, além de estar intervencionado pela UEFA, tinha o plantel  mais fraco dos 3 grandes , pelo que as aspirações dos azuis e brancos deviam  resumir-se a lutar com o Sporting de Braga por um lugar que lhes permitisse o acesso directo à  Liga Europa . Alguns, mais condescendentes, admitiam que se o sorteio fosse favorável, o  FC do Porto poderia aspirar à conquista da Taça de Portugal.
Embora depositasse uma crença inabalável em Sérgio Conceição e esteja habituado a ver o meu clube fazer das fraquezas forças, no início da época apontava para a conquista da Taça de Portugal  e o 2º lugar na Liga, como as exigência possíveis.
Nem o facto de termos começado a época em grande estilo fez alterar a minha convicção de que o título era uma meta quase impossível.  O plantel era curto e  mais cedo ou mais tarde viriam as lesões.Com o decorrer da época o meu cepticismo foi dando lugar à esperança, mas as vergonhosas arbitragens que nos escamotearam  6 pontos nos jogos de Vila das Aves, Moreira de Cónegos e no Dragão frente ao Benfica, voltaram a lançar a dúvida. O título estava talhado para  os encarnados e vislumbrava-se  uma passadeira estendida para o Penta.
A indomável crença portista conseguiu , porém , contra tudo e contra todos, conquistar um título em que ninguém fora do clube  acreditava, mas cujo mérito ninguém de boa fé contesta.
Não fora o meu estado de saúde e ontem teria estado no Dragão a festejar este saboroso título. Com a mesma alegria com que festejei o de 1977/78  e as conquistas europeias. Mesmo assim, segui a par e passo todos os festejos. Emocionei-me como se lá estivesse  e participei da festa como pude. Foi um justo e saborosíssimo título que apenas me deixou o amargo de boca de não poder festejar na rua. 
Mas, para compensar, constatei que ao contrário do que acontecia há 20 ou 30 anos, há muitos portistas aqui no Estoril. A maioria, jovens, o que prova a expansão do portismo que a tantos tem preocupado.

21 comentários:

  1. Eu, assim que acabou o Sporting-Benfica, apaguei a TV (na verdade desliguei o meu PC), e até hoje nem televisão nem jornais, aliás, o que até é habitual em mim... fui lendo umas coisas, e rindo-me de outras, mas inão partilho da visão de que o FCPorto ganhou contra tudo e todos, pelo contrário, até se alavancou na aliança com o Sporting, coisa que de tão ridícula dispensa comentários.

    O Porto alimenta-se muito da inveja do Benfica, não há uma única festa que façam que não se lembrem do consagrado SLB,SLB....filhos daquela senhora ou então como agora do Penta Xau.

    Eu estive em todas as festas de comemoração de títulos do meu clube, no Marquês, na Luz, no Aeroporto, no Jamor nunca ouvi cantigos ou alusões ao Porto ou ao Sporting, e foram dezenas as ocasiões.

    Senti vergonha alheia ao ver a forma patética, triste e deselegante das celebrações, não pela turba-multa, mas por ver atletas naquelas tristes figuras, a mando sabe-se de quem,e depois admiram-se que no Benfica ninguém tenha dado os parabéns ao clube.Eu também não gosto lá muito de ser enxovalhado.

    Quanto ao Carlos, fico satisfeito por si, sei bem que este sentimento pelos nossos clubes é tão forte e está tão enraizado que faz parte de nós.

    Por si e por alguns amigos portistas, porque o clube em si deixou de me merecer qualquer simpatia há muito tempo.

    Amor com amor se paga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não gostei de alguns comportamentos dos jogadores,Chakra, mas é preciso não esquecer que o responsável tem um nome: LFV. Foi ele que tentou afastar o FC do Porto das competições europeias, apresentando queixas na UEFA infames, para que o SLB conseguisse ocupar o lugar a que não tinha direito.
      E também não me esqueço de ter entrado no estádio por uma porta onde se podia ler "Entrada reservada para os cães". Como não me esqueço de ter sido agredido por levar um cachecol do FC do Porto. Apesar de me ter mantido sempre em silêncio, roubaram-me o dinheiro que levava, um isqueiro que tinha apenas valor estimativo e uns óculos escuros. Tudo isto perante a cumplicidade de uns bandidos que se diziam seguranças. Sim, foi no tempo do Vale e Azevedo, mas depois disso, lembro as cenas de violência no túnel provocadas por stewards, ou a ligação dos aspersores de rega e o apagar da iluminação no dia em que viemos conquistar o título à Luz.
      quanto ao SLB já lhe contei os tempos em que sofri pelo SLB e as razões porque passei a sentir um profundo desprezo pelo clube. Falam de Apito Dourado, mas deviam olhar para dentro e recordar os exemplos de dirigentes nos últimos 25 anos. E não falo só de Vale e Azevedo. Foi o mais notável, mas não foi o único a contas com a justiça...

      Eliminar
    2. É a velha máxima, não conseguimos olhar para os nossos clubes sem óculos da cor dos mesmos.

      Vale e Azevedo, roubou o seu próprio clube, era um vigarista que nem se preocupou em fazer frente aos clubes rivais, a não ser com atoardas do género "sou o PC vermelho" e outras ridicularias. Por isso não só prejudicou gravemente o Benfica, deixando sequelas que duraram vários anos, como indirectamente beneficiou o FCP e o SCP (coitado) com a sua inacção e o seu esquema de roubo ao clube de que era presidente.
      Portanto comparar com Pinto da Costa, que a coberto de esquemas fraudulentos catapultou o seu clube a um nível mais consantaneo com a sua grandeza mas de forma reprovável, sendo condenado por corrupção, parece-me algo descabido.

      Já agora, ninguém acha estranho que um clube consiga com um presidente 22 campeonatos e nas restantes décadas a módica quantia de 6? E não me venham com clubes do regime porque isso é uma falsidade que já foi sobejamente demonstrada.

      A verdade é que não tenho desprezo ou ódio por nenhum clube, apenas escrevi e mantenho que não tenho qualquer simpatia, e só não me é indiferente porque através de práticas pouco éticas afastou o meu clube da possibilidade de conquistar mais títulos.

      Mas lá está, remeto para o primeiro parágrafo do meu comentário, terminando por lhe dizer que concordaremos em discordar, sem azedume da minha parte.

      Eliminar
  2. Não tenho, nem podia ter, qualquer problema em dar os parabéns à equipa mais regular ao longo do campeonato.
    Estão de parabéns os jogadores e a equipa técnica, liderada por um surpreendente Sérgio Conceição.

    Caro Carlos, aceite os parabéns do benfiquista que não é fanático.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Parabéns amigo,mas deixe-me dizer-lhe o seguinte:os mails divulgados por Francisco J.Maeques conquistaram muitos mais pontos, que aqueles que acham que vos roubaram.

    ResponderEliminar
  4. Pelo Carlos acho que tinha direito a ter essa alegria. No entanto o desporto e o futebol em particular, para mim é uma tristeza a raiva que existe entre os adepto de equipas diferentes. Hoje não é ´desporto. É apenas uma indústria em que cada fábrica procura ganhar o mais que pode em relação aos seus concorrentes. Ainda por cima não pagam impostos como os outos e vivem de dívidas, empréstimos e benefícios especiais. O Benfica sempre foi o maior clube, normalmente onde aderiram ou simpatizavam todos os trabalhadores e migrantes que se reviam na sua Pátria. O Sporting era dos meninos que eram bem e dos que queriam ser e singraram no tempo do fascismo. O Porto ficou muito feliz por ser um clube provinciano, duma elite burguesa e exploradora, que viu no futebol uma maneira de dar nas vistas. Analisemos a História ao longo dos anos. Até nem se importavam de prejudicar a cidade em favor do seu clube. Com a dispersão das classes e a migração das pessoas é natural que, no privilegiado Estoril haja muito mais portistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando escreve sobre o FC do Porto e o Norte, a Anphy faz-me lembrar um disco riscado. Ou, se preferir, uma míope a tentar ler sem óculos. de qualquer modo, pela consideração que me merece, sempre lhe digo que prefiro ser adepto de um clube de burgueses ( é preciso algum analfabetismo desportivo para fazer essa afirmação) do que de um clube que serve de albergue a criminosos e assassinos. Guarde o seu odiozinho de estimação ao FCPorto e ao Norte em geral ( com excepção dos seus amigos, eu sei) para situações que valham a pena. Não as gaste em declarações panfletárias

      Eliminar
    2. Sem que me querer intrometer onde não fui chamado, e a propósito de criminosos e assassinos, seguem algumas frases de um celebre livro de um criminoso confesso:

      Benfica – F.C.P = (1992) – “Depois da festa, foi o fim do mundo. Distribuímos pancada por tudo o que fosse vermelho.” “Surgiu a ideia de criar os ultras portugal com elementos dos super dragões e da claque do Sporting. A primeira viagem foi contra a Itália.(…) No caminho, o Borrego lançou um concurso que consistia em ver qual era a claque que mais roubava (…) Foi o caos em Andorra! Lojas e mais lojas cheias de máquinas de filmar, roupa, tabaco…Tudo à mão de semear. Ficámos em transe.”

      Setúbal- F.C.P (2002) – “Foi o caos! Entraram cem gajos pela área de serviço e roubaram tudo o que lhes apareceu à frente. Até que os guardas trancaram 16 (…) Foram todos absolvidos. Foi um final feliz.”

      Juventus – F.C.P (2001) – “Abri o cortinado das hospedeiras e vi o Alexio e o Caveira aos beijos e aos apalpanços (…) Os outros começaram a puxá-las, a dar-lhes surras no cu e a apalparem-nas… Depois, o co-piloto começou a falar comigo a explicar que tinham roubado a carteira ao comandante. Ele estava fodido e já queria aterrar o avião, antes do tempo! (…) Os cães sentiram o cheiro a ganza que os gajos fumaram durante o voo…”

      “O BENFICA é o nosso inimigo mortal. Ponto de honra derrotá-los, dentro e fora das quatro linhas.”

      A pergunta que eu faço acerca deste livro do lider de uma claque Legalizada do FCP é:
      -Quem apoia a claque e os seus comportamentos criminosos?

      -Quem apoia o crime organizado por estas claques legalizadas?

      -Quem dá instalações, bilhetes, acesso aos jogadores e treinadores a esta claque?

      Quem apoiou a visita de membros desta claque ao centro de estagio dos árbitros na Maia para ameaçar árbitros?

      Quem divulgou nas redes sociais o telefone e endereço do arbitro Tiago Martins depois do Sporting-FCPorto?

      Já dizia alguém vai para mais de 2000 anos, que atire a primeira pedra quem estiver isento de pecado!

      Eliminar
    3. Nós aqui a perder-mos tempo com a porcaria do futebol, que só serve para as pessoas irem para lá espalhar as suas frustrações e a revolta que lhes está acumulada no organismo, quando o mundo está cada vez mais perigoso e prestes a rebentar a todo o momento.
      Sou um disco velho e riscado porque não tenho cultura futebolista, nem tive oportunidade de correr todo o mundo, Porque os nortenhos mataram o meu futuro. E tenho realmente nojo pelos industriais do norte, especialmente do ramo dos têxteis e do calçado, que todos abriram falência quando deixaram de poder competir com a China, pois nem a exploração de crianças e famílias que ganhavam uns tostões à peça, mas que lhes dava para encomendar e esgotarem o número de máquinas de luxo mal eram lançados, gabando-se de serem os que mais ferraris e lamborghinis , entre outros tinham. na minha zona somos todos pobres, não há burgueses, nem os pobres que venderam todos os seus terrenos aos ingleses que começaram por explorar e abandalhar o Algarve. Até sou duma zona onde que até sabe escolher os seus autarcas. Não escolhe meninos de colégios exploradores. Já agora espero que convidem o Fernando Gomes e o Rui Rio para assistirem Consagração do vice.rei do Porto, um velho nojento que deve de estar cheio de calos nos joelhos...mas qua quem o dinheiro deu poder para comprar todos os jurados. O Carlos tem raiva dum construtor civil, mas deve adorar um médico da Maia- lFMeneses, mais uns Loureiros, que compravam votos com electrodomésticos para não falar de tantos outros como os Oliveiras que tomaram conta dos edifícios nobres do Porto. Tem capacidade suficiente para ver que eu tenho razão naquilo que digo. Sim prefiro um monárquico pedinte do que um burguês que enriqueceu à custa do trabalho dos outros, Incluindo os da Marinha-grande, os da CUF e os senhores banqueiros um deles a quem até o Belmiro passou a perna...Já agora explique a esta velha tonta porque depois do 25 de Abril nem um comunista podia ir a um café no Norte e onde se refugiaram os fascistas do 28 de Setembro. além de se ter pensado em mudar o Governo para o Norte caso o problema aqui desse para o torto. Como formalista deve saber muito mais do que eu, desde o rebentamento de sedes de partidos. etc. O Carlos não tem culpa disto por alguma razão até quis vir para baixo, só é pena que a clubite lhe tire o poder de análise. Eu como pobre que sou sempre estarei do lado dos mais fracos, apesar de muito ter trabalhado na vida e de nunca ter vivido à custa de ninguém e é pena de a capacidade de análise não me deixe ser feliz com o que vejo.

      Eliminar
  5. Nesse dia de Maio levámos duas camionetas cheias de alunos da faixa dos 13/14 anos ao Porto em visita de estudo. Tememos não conseguir tirá-los lá das ruas... Nunca me vou esquecer da festa e da loucura dos garotos. Cheguei a casa MORTA........

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quase apostava que muitos deles são hoje portistas, Graça...

      Eliminar
    2. De facto até as crianças hoje já estão do lado dos que exploram e atacam os mais fracos.

      Eliminar
  6. Embora o meu estado de saúde seja óptimo, também não me fosse possível dar um pulo à nossa cidade para festejar na rua o título justo do nosso Dragão.

    No futebol somos almas gémeas, Carlos.

    Abração portista da amiga de sempre.

    ResponderEliminar
  7. Não gostei de alguns cânticos, Carlos.
    Pode-se festejar sem achincalhar os outros.
    Isso é feio, fica mal.

    Grande trabalho de um moço originário da Ribeira de Frades, de origens muito humildes, que tem uma garra tremenda - Sérgio Conceição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não gosto dessas manifestações, como sabe, Pedro. No entanto, sem querer justificar atitudes e cânticos reprováveis, peço-lhe que leia a resposta que dei ao Chakra. É que quem não se ofende não é filho de boa gente e há ofensas que nunca se esquecem.

      Eliminar
  8. Deve ser complexo de perseguição depois de chamar de estrema- esquerda aos que criticam a sua linha, agora diz isto: https://www.publico.pt/2018/05/08/local/noticia/moreira-acusa-orgao-de-consulta-da-unesco-de-portofobia-aguda-1829243



    ResponderEliminar