sexta-feira, 4 de maio de 2018

A demissão de Sócrates e a Justiça



Penso que a saída de Sócrates do PS só peca por tardia. Ou melhor... o ideal teria sido que Sócrates nunca tivesse entrado para o Partido Socialista. Não por ele, mas por ter trazido, ou dado protagonismo E PODER a gente pouco recomendável ( muito ao estilo da que Cavaco infiltrou no PSD) que não só minou a credibilidade do PS, como lhe retirou grande parte da sua essência ( como Passos Coelho fez no PSD) 
Como sabe quem me acompanha há mais tempo, apesar de encontrar algumas coisas positivas na governança,  teci aqui duras críticas a Sócrates  e não poupei  alguns elementos da sua entourage. Já em 2008 ( ainda este blog não tinha completado um ano de existência) me insurgia contra  este nauseabundo cromo. 
Diga-se, a talho de foice, que foi na distrital do Porto, sob a égide de Renato Sampaio, que germinou uma das mais perniciosas células do Socratismo que,  curiosamente, se perpetuaram com António José Seguro e deram força  a Rui Moreira.
As criticas que ao longo dos anos fui aqui fazendo ao aparelho socrático foram na generalidade mal compreendidas. Espero que  agora, depois de José Sócrates ter pedido  a demissão do PS,  muitos dos que me criticaram as percebam. É que não foi por acaso que escolheu o JN para anunciar previamente ao país a demissão do PS ...
Diga-se, em abono da verdade, que se a demissão de Sócrates peca por tardia, não deixa de ser criticável que tenha ocorrido, apenas, porque a justiça em Portugal é lenta e perversa. Em vez de fazer julgamentos nos tribunais, escolhe a  praça pública, vai cozendo as pessoas em lume brando e entrega a sentença à justiça popular, através de editais martelados na comunicação social.
Não me custa acreditar que o procurador Rosário Teixeira e o juiz Carlos Alexandre,  tenham festejado a demissão de Sócrates efusivamente. Admito mesmo que tenha merecido brinde especial à hora do almoço. Não apenas pela demissão, mas essencialmente pelo rombo que inevitavelmente provocará no PS
Lamentavelmente, a demissão de Sócrates é apenas mais um episódio que ilustra o estado miserável da nossa Justiça.  
Não há, por isso, razões para os adversários do PS se congratularem com a demissão de Sócrates e aproveitarem para fazer extrapolações. Deviam, outrossim, lamentar que a Justiça se intrometa de forma tão  perniciosa na vida política e partidária.


10 comentários:

  1. Desta vez não posso estar de acordo consigo... Apenas concordo com o que escreve nos três ou quatro últimos parágrafos...
    Comparar JS ao Láparo que nos sugou o sangue durante quatro intermináveis anos não me parece minimamento correto ou sequer sensato...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é propriamente uma comparação, Graça. Considero apenas que Sócrates foi tão nefasto para o PS, como PPC para o PSD.

      Eliminar
    2. Graça, antes do láparo houve o maior ladrão e que criou os maiores ladrões da nossa democracia, pois eram os que já tinham o saber acumulado dos privilegiados do antigo regime, que se aproveitaram de todos os FUndos: FEDER, FSE, FEOGA, só para citar alguns e que criaram bancos e os puseram à disposição de todos esses bandidos, além do levantamento das barreiras alfandegárias, 3 anos antes do tempo, o que só facilitou os nossos vizinhos espanhóis, os franceses etc. Esse bandido, e toda a corja é que deviam estar na prisão, mais outro que até é acusado de assassínio. Esses roubaram milhares de milhões, não são apenas os 30 milhões que agora falam, falam, falam e nunca mais se calam. Ninguém tem vergonha de continuar a falar disto porque querem voltar par o poleiro para que não descubram mais coisas que fizeram. O que o Carlos diz não tem comparação. PPC é um desgraçado que só queria poleiro e não de importou de desgraçar os que mais precisavam país com a ajuda de Catroga e de outros tantos, como um que criou uma empresa para lhe prestar auditoria e que já não está cá.

      Eliminar
  2. ...eu fico a pensar nas declarações de António Arnaut e, sobre o seu texto, apenas tenho uma reserva
    o não ter falado em questões de ética...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que essa questão se enquadrasse no espírito do post, Rogério.

      Eliminar
    2. Pois, esquecia-me do espírito do post.
      Mas lembro que são os valores éticos dominantes como a ganância, o egoísmo, a competição, o individualismo,a avareza, a cobiça e a exploração, os responsáveis por sustentar o sistema dominante que é permissivo quanto ao que se vai passando.

      Separar a ética da política pode até dar jeito, mas é um erro...

      Eliminar
    3. AA, um privilegiado maçon, que quis ficar na História por isso criou um SNS com o dinheiro que não havia igual para pobres e para ricos e mais umas centenas de milhares de devolvidos, muitos deles nunca tinham visto um médico. Hoje com tantas carência até fico chocada quando um PR foi operado de borla por um perito que esteve logo à sua disposição, quando os outros aguardam anos por uma cirurgia. E o seu amigo de infância até veio para as televisões passar relatórios médicos, que mais pareciam os do tempo de Salazar, quando ele caiu da cadeira.

      Eliminar
  3. Não sei das trafulhices que fizeram no norte pois só ouvi falar dum odre Santos que está no parlamento. Pizarro parece-me boa pessoa, mas falta-lhe carisma. O Moreira é mais uma espertalhão da escola alemã, que puxam todos a brasa à sua sardinha. Depois de Soares, Sócrates foi o melhor PM que Portugal teve. Se a mania das grandezas lhe subiu depois à cabeça, não tenho nada a ver com isso. Viver com dinheiro emprestado não é o mesmo que roubar. Ele,(ou nós e todos os que se manifestaram depois pagaram com língua de palmo e meio) teve o azar que os bancos provocassem a crise internacional, mas enfrentou o problema até o deixarem. Tomou as medidas certas que o país precisava, embora não agradasse a muitos por isso é que lhe ficaram com tanto ódio e não deixaram de o perseguir. Esta perseguição pertence ao domínio da psiquiatria e dos interesses sem fim e dum povo ignorante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *parlamento europeu, onde está a zorra amiga do espantalho seguro, que sempre fez o jogo do mixomatoso e esteve sempre contra Sócrates.

      Eliminar
    2. Esse tal Manuel dos Santos, bem como Renato Sampaio, são alguns dos exemplos pouco recomendáveis que tomaram o aparelho no Porto, Anphy

      Eliminar