quarta-feira, 4 de abril de 2018

Sob suspeita




A recente escolha de John Bolton  para  Conselheiro de Segurança da Casa  Branca, em substituição do general Herbert Mc Master, aumenta a minha convicção de que a história das armas químicas russas é um embuste.
Para quem não saiba, ou não se recorde,  esclareço que John Bolton foi conselheiro de George Bush, foi o arquitecto do "Eixo do Mal" ( Iraque, Irão e Coreia), engendrou o plano para afastar Saddam e o mentor das armas de destruição maciça que Durão Barroso viu tão claramente.
O seu regresso à Casa Branca deverá estar relacionado com um possível endurecimento da posição de Washington face aos seus inimigos de estimação.
Mais  radical do que o general Mc Master, John Bolton é visto pela imprensa americana, como mais um "reforço" para o "gabinete de guerra" que ganha cada vez mais força na administração Trump. O seu curriculo parece confirmá-lo, pois Bolton defende ataques ao Irão, Coreia do Norte e mesmo China.
Em breve ficaremos a saber qual a "inventona" que se seguirá ao caso Skripal, que poderá muito bem ter sido apenas um balão de ensaio para testar a opinião pública mundial.

2 comentários:

  1. Digo apenas que a Casa Branca está a ficar um coio de falcões, dos maiores bandidos da história mais recente, o que não pressupõe nada de bom.

    ResponderEliminar
  2. Creio que ainda estamos no início da História em que a Casa Branca se confundirá com a Casa dos Horrores

    ResponderEliminar