quinta-feira, 26 de abril de 2018

Ágata e eu

Se me pedirem para dizer o título de uma canção de Ágata, não sei.
Se me pedirem para trautear uma das suas melodias de sucesso, vêm-me à memória uns acordes difusos de uma canção qualquer sobre dor de corno, mas fico-me por aí. Não consigo reproduzir mais do que " mas não fiques com ela".
Ah! Isto não é da Ágata  e a letra não é assim? Sorry!
Jã perceberam que nunca fui fã da Ágata. Acrescento  mesmo que sempre tive uma certa antipatia pela imagem da cantora ( pimba?) que me provocava urticária e rejeição imediata.
Se bem me lembro, Ágata atraía multidões e destruía corações.  O quê? Isto também não é verdade? Paciência... 
O importante é que descobri ter um elo de ligação com Ágata que desconhecia e, num repente, passei a simpatizar com a senhora.
Que força estranha motivou mudança tão inesperada quanto repentina?perguntarão alguns leitores.
Nada mais nada menos do que ter descoberto, numa notícia de jornal que Ágata, nascida e criada em Benfica, partilha comigo a mesma paixão avassaladora  pela cidade de Chaves.
Ao contrário da cantora, que- se bem percebi- se apaixonou por Chaves por via matrimonial, eu não sei explicar a razão de me sentir tão bem em Chaves, de sofrer com as derrotas e me alegrar com as vitórias do GD de Chaves, de  me deixar inebriar pela beleza sedutora da cidade, quase ao ponto de desejar mudar-me para lá. É um amor antigo,  um chamamento estranho vindo não sei de onde, que terá certamente uma explicação racional e plausível. Talvez um dia consiga descobrir qual é. 



13 comentários:

  1. Chaves tem um encanto especial. Do Castelo ao rio. é muito bonita. Atravessar a ponte Trajano e perder-se pela Madalena, é uma maravilha. E a gastronomia?
    Também gosto muito de Chaves.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Curioso, Carlos, que eu penso exactamente o mesmo !
    Também adoro Chaves, tive um grande amigo na adolescência que era de lá, por lá passei uns tempos, ou em casa desse meu amigo, ou acampado por lá e fiquei a gostar muito daquela zona !
    Sabia de há vários anos, que a Ágata tinha casado com um flaviense, Francisco Carvalho, grande empresário local, ligado ao mundo da música e que também investiu muito no clube de futebol local.
    Um homem "cheio de dinheiro ! :)
    Ora nessas condições, a Ágata para lá se retirou após o casamento e por lá tem vivido, sem quaisquer necessidades financeiras provenientes das suas actuações ! :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro passear pela cidade, como a Elvira, e adoro toda a região. Tive um amigo de Pitões das Júnias e quando lá fui pela primeira vez, fiquei fascinado.
      Abraço, Rui

      Eliminar
  3. Até pareceria mal não deixar aqui uma palavra: eu nasci em Chaves e a casa da Agata foi de uns tios meus :)))
    Gostei de saber que gostam da minha cidade.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabia que era de Chaves, Papoila. Os meus parabéns, porque as sua cidade ( e toda a região) é belíssima e com muito boa gente! Beijinhos

      Eliminar
    2. :)) Obrigada, Carlos, concordo consigo uma terra de bons amigos.
      bjs

      Eliminar
  4. Ora bolas! Sou a única que não conhece Chaves. Se por lá passei, não me lembro. E portanto, acredito que seja como é dito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu não conheço Chaves, bea.

      E a Ágata é para mim uma ilustre desconhecida.

      Eliminar
    2. Não acredito, Teresa! Uma transmontana que não conhece Chaves? Não é possível!
      Quanto à Ágata, não tenha pena :-)

      Eliminar
  5. Pode acreditar, Bea. Embora a sua cidade também seja muito bonita...

    ResponderEliminar
  6. Chaves até está bem.
    Ágata?
    Não, obrigado!
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca diga desta água não beberei, Pedro! Ainda lhe pode acontecer o mesmo que a mim :-)
      De qualquer modo, continuo sem conhecer as canções da senhora e não tenciono comprar nenhum CD dela :-)

      Eliminar