domingo, 25 de março de 2018

Catarina e a idade da inocência

Ana Catarina Mendes propôs ao governo, há mais de uma semana, uma intervenção no futebol, para evitar males maiores.
Eu gosto imenso da secretária geral do PS, mas ACM devia saber que o pedido não pode ter provimento. Bastava-lhe atentar ao comportamento do IPDJ e do secretário de estado do Desporto e da Juventude, para perceber que qualquer intervenção do governo  seria  iníqua e, por consequência, contraproducente. 

4 comentários:

  1. Costumava ler o Crónicas, mas depois encheu-se de futebol. Vim cá agora directamente ao título que vi mapeado noutro blogue, pois nada mo indiciava como bola.

    Devia saber que a impressão inicial via título não devia ter tido provimento. Qualquer intervenção por aqui acaba iníqua e contraproducente.

    Não fui tocado pela fé como o autor, é o que é.

    ResponderEliminar
  2. Ana Catarina Mendes, tal como milhares de outras pessoas, ainda não percebeu que o futebol é um mundo à parte.


    ResponderEliminar
  3. Os vice-rei, os duques, os barões e os bobos da corte têm mais força que um governo. Até houve um senhor que não se deixou intimidar pela força do futebol da sua terra e agora está a ser lixado na praça pública...

    ResponderEliminar
  4. Com o clima que se está a adensar qualquer dia temos uma desgraça, Carlos.
    E depois lá vêm as carpideiras com lágrimas de crocodilo.

    ResponderEliminar