quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Diz que é uma espécie de democracia...

Aqui ao lado, Rajoy convocou eleições para legitimar a aplicação à Catalunha do artigo 155. Como os resultados  foram adversos à sua estratégia e ditaram uma maioria independentista no Parlamento catalão, Rajoy manteve em prisão alguns dos eleitos e impediu outros de ocuparem os seus lugares. 
Na Alemanha, o Tribunal Constitucional impediu a realização de um referendo independentista na Baviera. 
A democracia é um sistema político muito singular: só se aplica quando não questiona interesses instalados. Quais são esses interesses? 
Se vos recordar que a Catalunha é a região mais rica de Espanha e a Baviera a mais rica da Alemanha, a resposta é fácil. Como ficaria a UE, se duas das suas principais economias se tornassem independentes?
Quem viver mais uma ou duas décadas vai ficar a saber a resposta. E, no final do século XXI, o mapa da Europa nada terá a ver com o actual. A desagregação a que assistimos nas duas últimas décadas do século XX, no Leste Europeu, terá réplicas a Ocidente, transformando a Europa numa manta de retalhos. Será o fim da UE idealizada por Jean Monnet e Robert Schumann e o regresso de um período de grande instabilidade no espaço europeu.

3 comentários:

  1. Não voltaremos à Europa antes da primeira Grande Guerra, mas está á vista o que a solidariedade representa para as pessoas. a globalização também foi um fiasco e nada de bom se aproxima, porque o homem sempre foi um animal e na primeira oportunidade estala o verniz, para já não falar na actuação em multidões ou sobre pressão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A globalização antes de o ser já era um previsível fiasco. As dezenas de artigos que escrevi sobre o assunto, Anfitrite!

      Eliminar
  2. Por aqui caminha-se pelo mesmo caminho, Carlos.
    Hoje soube-se que os senhores deputados não querem ver as suas decisões submetidas aos Tribunais, os cretinos.

    ResponderEliminar