quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

De Balthus a Antonioni: os fundamentalistas são os outros?




Há semanas li a notícia de uma petição nos EUA, "exigindo" a retirada de um quadro de Balthus ( Therese Dreaming, 1938) em exposição no Metropolitan Museum of Art.
Argumentavam os peticionistas que no quadro estava uma jovem numa pose que " contribui para uma visão romântica  do voyeurismo, reduzindo as crianças a objectos".
Se os peticionistas não fossem indignados ignorantes ( eles sim, com uma forte dose de perversão) saberiam que Balthus fez o primeiro esquema deste quadro com 11 anos. Embora fosse um prodígio, não é provável que fosse perverso.
Demonstrando alguma sensatez, a direcção do Metropolitan Museum mandou as peticionistas bardamerda, explicou-lhes (entre outras coisas) que a figura do quadro de Balthus é andrógena  e manteve o quadro em exposição.
Não estaria aqui a escrever sobre o episódio, não fora o caso de, em plena época natalícia, ter deparado com este artigo no Libération.
A autora, professora universitária não chega ao ponto de reclamar a colocação no índex de "Blow up", mas  considera o filme ignóbil e perverso, porque maltrata as mulheres.

Confesso que me começa a irritar este puritanismo feminista, fruto das ondas de choque provocadas  pelo caso Weinstein. Quando em nome de um  pretenso puritanismo sexual se começa a tentar proibir obras de arte, ou a condicionar a expressão artística, em função de interpretações subjectivas de grupúsculos que não conseguem discernir entre arte, assédio sexual ou violência doméstica, estamos perante fundamentalismos tribais.
Não raras vezes, os/as  fundamentalistas encontram nas redes sociais o pasto necessário para que as suas ideias minoritárias, ridículas e retrógradas, (normalmente assentes numa assinalável ignorância sobre as obras que condenam, como acontece no caso do quadro de Balthus)  ganhem dimensão e  angariem adeptos. Esta é uma das perversões da globalização. A outra é a prova de  que no mundo dito civilizado há muito mais talibãs e jihadistas, dispostos a destruir séculos de evolução social e a vilipendiar as imagens das grutas de Lascaux, do que poderíamos imaginar.

Prémios Escorpião de Ouro 2017 ( ACTUALIZADO)

E pronto, lá consegui encontrar umas estatuetas em saldo na loja dos chineses e distribuir mais 10 prémios Escorpião de Ouro, os mais prestigiados da blogosfera.

Assim, os prémios de 2017 vão para...


Prémio Kinder Surpresa- Para os irmão Salvador e Luísa Sobral, pela  vitória no Eurofestival.

Prémio Alcagoita de Boliqueime- Para o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes. Quando se fala de problemas no futebol o homem desaparece e diz que não é nada com ele, mas para receber condecorações pelo trabalho realizado por outros (v.g, sucessos da selecção nacional) o homem  está sempre na primeira fila

Prémio Marretas- Para Donald Trump e Kim Jong Un, por razões que nem é preciso explicar.

Prémio Um dia  a casa vem abaixo- Para os cardeais que acusam o Papa Francisco de heresia, por estar a querer acabar com a pouca vergonha em que mergulhou a Igreja, enxameada de criminosos, corruptos e pedófilos.

Prémio Quanto mais me bates- Para os juizes que têm uma noção de violência doméstica tão peculiar, que até conseguem encontrar justificações para absolver os agressores.

Prémio Brasileira de Prazins- Para a  presidente da Associação das Vítimas de Pedrógão, por ter conseguido demonstrar que nem todas as brasileiras que vêm para Portugal são prostitutas e o nosso país é um manancial de Novas Opoertunidades

Prémio Pedrógão - Para os incendiários que passam as noites na televisão a atear fogos, na tentativa de acabar com o futebol.

Prémio Quem dá e torna a tirar ao Inferno vai parar- Para os tipos que roubaram  material de guerra em Tancos, mas meses mais tarde devolveram com juros 

Prémio Bola de Cristal- Para os comentadores políticos que previram  a catástrofe financeira, um novo resgate, a fuga dos investidores e toda uma parafernália de desgraça, mas  cujas análises se revelaram verdadeiro fiasco ( Na impossibilidade de entregar um Escorpião de Ouro a cada comentador, será Marques Mendes a receber o prémio. Motivo da escolha: ter considerado a possibilidade de Mário Centeno  vir a ser presidente do Eurogrupo uma mentira do 1º de Abril e uma obra de marketing do governo

Prémio Servilusa- Para a cambada de hipócritas que procurou tirar dividendos políticos das vítimas dos incêndios

Prémio Crime Disse Ela- Para Pedro Passos Coelho que "viu" pessoas s suicidarem-se em Pedrógão Grande

Prémio  Para que quero eu esta merda?- Para Mário Centeno, pela sua eleição para presidente do Eurogrupo

Prémio Farinha Cérelac- Para Vladimir Putin que muito dicretamente, mas com grande eficácia, anulou a influência dos Estados Unidos em várias zonas do globo. (E nunca mais ninguém ouviu falar de crimes na Ucrânia, da Síria ou da Crimeia 

Prémio Soltem os prisioneiros - Para Jerónimo de Sousa que, após a derrota nas autárquicas, mandou a CGTP dar roda livre aos sindicatos

Prémio  Que tal um bocadinho de vergonha na cara?- Para Assunção Cristas pela encenação que fez na AR, ao longo do ano, indignando-se e culpabilizando a geringonça por ocorrências que são da responsabilidade do governo de que ela fez parte.

Prémio Agora não quero mais selfies- Para MRS que sugeriu a Costa e aos deputados que peçam a fiscalização preventiva da Lei do Financiemento dos partidos porque, aparentemente, o PR não se quer meter nisso para não sair chamuscado.

Prémio Sempre em pé- Para António Costa. Atacado por todos os lados, consegue resistir. Mesmo quando faz asneirada da grossa...

Prémio "O que dizem os meus olhos" - Para Catarina Martins que consegue insultar António Costa sem perder o sorriso e o olhar angelical

Prémio Vai e não voltes- Para Pedro Passos Coelho

Prémio Venha o Diabo e Escolha- Para Rui Rio e Santana Lopes, candidatos à liderança do PSD

Prémio Pinóquio- Ex-aequo para os directores do semanário  SOL e do matutino Correio da Manhã, por terem conseguido plantar o maior número de mentiras de toda a comunicação social. Para o jornal i fica uma menção honrosa, como reconhecimento pelo seu trabalho. Apesar de se ter iniciado mais tarde no universo das "notícias falsas" o seu futuro é muito promissor. Os vencedores deste ano que se cuidem...

E os 10 novos premiados são...

Prémio Príncipe com Orelhas de Burro- Para Mariano Rajoy pela forma asinina como tratou o problema da Catalunha

Prémio Couve de Bruxelas- Para Carles Puigdemont que, para não ser enjaulado, se pirou para Bruxelas e continua a autoproclamar-se exilado político.

Prémio Eu seja ceguinho- Para Bolsonaro, candidato à presidência do Brasil, que garante nunca ter havido ditadura militar no Brasil.

Prémio Mas onde é que eu me vim meter?- Para Theresa May que não consegue desatar o nó do Brexit

Prémio Engole filho, que não custa nada- Para Schaueble que ainda no início do ano previa que Portugal teria de pedir um novo resgate.

Prémio aquela coisa branca nos pneus era só pó de talco- Para a reação de LFV ao caso dos emails que ( admite o advogado do SLB) induzem a existência de tráfico de influências. Já nem os benfiquistas o LFV consegue enganar!

Prémio E o macaco sou eu?- Para Pedro Guerra que está a ser utilizado como bode expiatório no caso do tráfico de influências

 Prémio Eu sou o camelo do presépio- Para o secretário de estado do desporto João Paulo Abreu que, apesar da morte de um adepto, às mãos de uma claque ilegal,  considera  estar tudo a correr dentro da normalidade no futebol português.

Prémio Vocês têm a certeza que era eu? Para Teresa Caeiro que, apesar das evidências, sempre negou ter pertencido aos órgãos sociais da Raríssimas


Prémio Tripas à moda do Porto- Para António Costa e Adalberto Campos Fernandes, ministro da saúde. Quiseram dar um docinho aos tripeiros, como recompensa pela perda da AEM, mas trataram o caso da transferência do INFARMED para o Porto com tanta inabilidade, que conseguiram colocar quase toda a gente contra eles.