quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Liberdade para a Catalunha

Amanhã há eleições na Catalunha. Para além  dos resultados ( que provavelmente ditarão um grande imbróglio)  importa saber se no dia seguinte a comunicação social e as instituições catalãs voltarão a poder usar  as expressões que o governo "democrata"de Rajoy proibiu e das quais destaco, como exemplo, "liberdade para os presos políticos " ou "governo no exílio ".
Andamos nós preocupados com a deriva totalitária em países como a  Hungria, a Polónia ou a Austria, quando temos mesmo aqui ao lado um país com um défice democrático acentuado.
Para o ramalhete ficar perfeito, só falta a FIFA cumprir a ameaça de expulsar Espanha do Mundial 2018,se o governo de Rajoy insistir em imiscuir-se nas eleições da Federação de Futebol.

À atenção do professor Marcelo

A Califórnia está a arder há meses. A área ardida já é maior do que a das cidades de Nova Iorque e Boston juntas.
Penso que está na hora de Marcelo ir à Califórnia exigir a demissão de alguém e por aquilo em ordem.

Tenha decoro, senhor deputado!



Na audição parlamentar a Vieira da Silva, um deputado rasca do CDS ( desculpem o pleonasmo) mostrou umas fotos do ministro durante uma visita à Suécia e insinuou que a presença naquela cerimónia numa associação sueca, parceira da Raríssimas, podia suscitar interpretações de favorecimento à presidente daquela IPSS.
Confesso que estou cansado destes comportamentos, mas não resisto a perguntar a António Carlos Monteiro, por que razão não mostrou também esta foto de MRS a entregar um prémio a Paula Brito Costa. Será que o PR também suscita "interpretações de favorecimento"?