sábado, 21 de outubro de 2017

Memórias em vinil (CCLXX)

Experimentem lá a sensação e tenham uma excelente noite. E já agora, um bom domingo também.

Perguntar não ofende...

Como era expectável, a manifestação silenciosa de hoje em Lisboa não era mais do que um pretexto para que um grupo de arruaceiros manifestasse a sua raiva contra este governo.
O vestuário, os trejeitos, o sotaque afectado dos entrevistados nas televisões, denunciavam que aquelas dezenas de pessoas pertenciam a uma élite. Ainda bem que um canal de televisão entrevistou um tipo que eu conheço de ginjeira. É amigo de longa data de PPC, pertence a um grupo de retornados ressabiados que anda sempre a conspirar. É um dos muitos deserdados do governo Pafioso que, tal como PPC, nunca fez nada na vida. Empregou-se no PSD e, quando não está no governo, é avençado da cunha. 
 Confirmada  a massa de que era feita a turba que foi ao Terreiro do Paço, faço apenas uma pergunta: porque é que os silenciosos, em vez de se  manifestarem por aí sem qualquer utilidade, a não ser provocar arruaças, não vão ajudar as vítimas dos incêndios a reconstruir as suas casas, ou visitar os feridos  aos hospitais e deixar- lhes uma palavra de conforto?
-

Lição da semana

Mesmo que a razão esteja toda do teu lado e todas as provas o confirmem,  nunca uses a  teimosia como argumento. Recorre ao diálogo, mostra humildade e, se for preciso, pede desculpas. É isso que as pessoas gostam  e, mais tarde do que cedo, acabarão por te dar razão.