terça-feira, 3 de outubro de 2017

Memórias em vinil (CCLIV)

Mais um cheirinho de Brasil.
Boa noite!

As matreirices de Marcelo

 
 
 
Sexta feira, 29 de setembro, último dia de campanha eleitoral.
Alguns jornalistas recebem um contacto telefónico de “alguém” da candidatura de Teresa Leal Coelho, sugerindo a sua presença no Príncipe Real. Motivo para o repto? Marcelo Rebelo de Sousa iria passar por lá para cumprimentar a candidata do PSD que ali se encontrava em campanha.
Os jornalistas compareceram, escreveram, filmaram e a notícia encheu os telejornais. Teresa Leal Coelho aproveitou a oportunidade para mostrar a sua inabilidade e incapacidade política, colocando uma legenda nas imagens: MRS estivera no Príncipe Real e manifestara-lhe o seu apoio.
MRS reagiu de imediato, negando esse apoio e o efeito pretendido esfumou-se rapidamente.
Mas se o episódio demonstra a incapacidade política de Teresa Leal Coelho e a inabilidade de PPC para escolher candidatos, também deixa bem visível a matreirice de Marcelo.
Como já aqui escrevi, no dia em que Rui Rio ( ou outro candidato que agrade a Marcelo) assumir a liderança do PSD, o PR  deixará de ser muleta de António Costa e tudo fará para recolocar o “seu” PSD na rota do poder.

Contra Castela, marchar marchar?


Carles Puidgemont não é pessoa muito recomendável, mas conseguiu alcançar os seus objectivos ao obrigar Mariano Rajoy a mostrar ao mundo inteiro a sua  inépcia e, por tabela, colocar a questão catalã a  abrir noticiários  e ser tema de debate  nos mais importantes canais de televisão europeus. 
Pior ainda, deu a Nigel Farage oportunidade para ir ao Parlamento Europeu criticar a hipocrisia da UE, atacar a Comissão por não condenar a violência na Catalunha e ironizar sobre a pseudo democracia da Europa.
A Cataluña está a ferro e fogo, apenas porque Mariano Rajoy é demasiado estúpido para perceber que ao reagir com violência está a fazer o  jogo  de Puidgemont e dos independentistas.
Adoro Espanha, acho os catalães muito arrogantes, mas  mais civilizados do que a generalidade dos espanhóis  e, cultural e  intelectualmente,  muito mais próximos da Europa do que castelhanos ou andaluzes, por exemplo.  Talvez por isso, castelhanos e andaluzes olhem sempre para os catalães com a arrogância própria dos que se sentem inferiores.
A ligação da Cataluña a Espanha  é tão artificial quanto foi a nossa. Remonta ao século XII, mas foi  urdida no leito conjugal, por vínculos reais, pelo que  a independência será uma questão de tempo.
Ao recorrer à violência, insistir na recusa do diálogo e insultar os catalães, chamando-lhes  mafiosos e nazis,  Rajoy  e Santamaria ( uma Assunção Cristas em versão castelhana) estão a contribuir para que o processo seja acelerado. Provavelmente depois da turbulência dos últimos dias, as coisas vão acalmar, mas o processo (irreversível) de independência começou no dia 1 de Outubro. Os espanhóis parecem não ter percebido.  E o PSOE, com a sua posição dúbia, também não. Azar deles.

E,já agora, também meu, que tive de me rebelar contra um vizinho pertencente ao corpo diplomático de Castela que se lembrou de hastear uma bandeira espanhola no telhado. E como eu moro no último andar... Não é preciso dizer mais nada, pois não?

Jovens, Instruídos e Tontos

Isaltino Morais foi  acusado de corrupção e condenado pela justiça. Cumpriu a sua pena, pelo que tinha toda a legitimidade para se candidatar à Câmara de Oeiras onde foi tão feliz.
O que espanta é que o concelho mais jovem e mais instruído do país o tenha escolhido entre 12 candidatos. Os motivos da escolha são um mistério que conduz sempre à frase de telenovela  brasileira " Rouba mas Faz". Para gente jovem e instruída parece-me muito poucochinho, mas provavelmente o problema é meu.
Estarei no entanto muito atento quando algum habitante de Oeiras vier  acusar um qualquer político por ser corrupto. 
Se ainda fosse vivo,  Ettore Scola era bem capaz de estar por estes dias em Oeiras a recolher elementos para  um novo filme. 
Seria um remake de "Feios, Porcos e Maus" e teria como título " Jovens, Instruídos e Tontos".
O argumento giraria, obviamente, em torno de uma questão pertinente: ser instruído e jovem torna as pessoas mais inteligentes e tolerantes com os corruptos?
Então, o melhor é voltarmos ao tempo do analfabetismo, caso contrário, Sócrates nós, os néscios, ainda nos arriscamos a ver Sócrates em Belém.

O povo é quem mais ordena

Apesar da campanha de intoxicação levada a cabo pela direita, com o extremoso apoio da comunicação social, o PS conquistou a câmara de Pedrogao Grande. Provou-se, uma vez mais, que tentar cavalgar a desgraca alheia, para alcançar dividendos eleitorais, não compensa...