quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Memórias em vinil (CCXXXII)


Tenham cuidado, porque ainda por cima hoje é quinta feira e  está Lua Cheia. Boa noite!

António Costa no teste do algodão



Antes de ir de férias, António Costa fez fortes críticas ao comportamento da Altice em Portugal. Passos Coelho e Assunção Cristas saíram em defesa da empresa e condenaram veementemente as criticas de António Costa, com o argumento de que o governo "não deve ( nem pode?) criticar empresas.
Graças ao BE conhecem-se hoje melhor as arbitrariedades da Altice, as fraudes e as técnicas ilegais utilizadas para se ver livre dos trabalhadores.
O PCP criticou o comportamento da empresa, mas PSD e CDS mantêm a posição ( nada surpreendente, diga-se) de que não se devem atacar empresas que investem em Portugal. Apetecia-me soltar o meu melhor vernáculo perante esta atitude hipócrita dos lideres da oposição mas, por agora, apenas pretendo escrever sobre a iniciativa do BE de alterar a legislação laboral de modo a impedir que a Altice continue a utilizar técnicas terroristas para despedir trabalhadores.
Mesmo não conhecendo o diploma do BE, arrisco dizer que será o teste do algodão para o governo e para o PS neste mês de Setembro. 

A luta dos enfermeiros


Tanto quanto julgo saber, a luta dos enfermeiros é justíssima. Estão há anos a ser explorados pelo Estado, que não cumpre as suas obrigações com estes profissionais de saúde.
Lamento que os enfermeiros tenham sido obrigados a chegar ao limite, para fazerem ouvir a sua voz e obrigarem o governo a dialogar.
Penso, porém, que colocar em risco a vida das pessoas, não é uma forma de luta muito digna de profissionais de saúde que, presumo eu, terão jurado tudo fazer para ajudar a salvar os doentes.
Qual seria então a melhor forma? Sinceramente, não sei, mas se alguém morrer por estes dias por falta de assistência dos enfermeiros, não venham culpar o governo, porque isso é cobardia.