sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Memórias em vinil (CCXXVII)



E porque hoje começou Setembro, pareceu-me muito bem  trazer estas memórias para o fim de semana.
Boa noite e bom fim de semana

TOP 5

E vão comemorar o quê?

Faz hoje um ano que Dilma foi demitida, depois de um dos espectáculos mais indignos a que assisti num país pretensamente democratico.
Um ano depois não parece haver razões para os seus adversários  (agora no poder) celebrarem. A economia está pior, aumentou a miséria, a insegurança voltou a níveis dos anos 80, a violência sobre a polícia e o aumento da criminalidade  estão a transformar o Brasil num país pouco recomendável. 
No meio de tudo isto, chegar ao Rio de Janeiro é uma tristeza.A cidade maravilhosa é,hoje em dia, uma cidade tenebrosa onde reina a sensação de a qualquer momento, em qualquer lugar, poder rebentar uma cena de violência cujos estilhaços nos podem atingir.

Inquietação, inquietação, inquietação...

Falta um mês para as eleições autárquicas.
Em Loures, o candidato apresentado pelo PSD é xenófobo. Os ataques que fez aos ciganos levaram o CDS a romper com a coligação com o PSD, e todos os outros partidos criticaram de forma veemente e assumiram não fazer qualquer aliançá pós eleitoral com o energúmeno . 
Todos? Não é bem assim.... Pedro Passos Coelho saiu em defesa do seu candidato e o PCP , apesar de algumas críticas a André Ventura, não rejeitou peremptoriamente a possibilidade de continuar a aliança com o PSD, que dura desde 2013.
Bernardino Soares, presidente da CM Loures, é realmente uma figura peculiar. Repudia que a Coreia do Norte seja uma ditadura e  está disposto a coligar-se com um candidato que partilha as ideias de Le Pen.
O  PCP não pára de me surpreender!