quarta-feira, 21 de junho de 2017

Memórias em vinil (CLXV)

Continuamos com bandas dos anos 80.
Hoje vêm os Police, com  o senhor Gordon Summer, aka Sting.
Boa noite! Respirem bem os ares do Verão.

Cristiano Ronaldo, diz-me lá: já exprimentaste f....?



Agora que Cristianinho  fez 7 anos e vai para a escola, tendo por isso menos tempo para brincar com o pai, Cristiano Ronaldo "encomendou" um par gémeos para se entreter.
A minha primeira reacção à notícia foi perguntar se CR sabe que ainda é possível fazer filhos pelo método body to body, mas depois soube que a sua actual  namorada está grávida e há uma forte possibilidade de o filho ser dele. Logo, talvez o método não lhe seja totalmente desconhecido.
Daí que tenha reformulado a questão e  tenha dado por mim a perguntar-me  por que razão CR 7 não adopta crianças, em vez de os encomendar a uma barriga de aluguer. Era mais nobre e, se a ideia é ter crianças para brincar, até tem possibilidade de escolher uma que se adapte ao seu gosto. 
Estava eu nestas cogitações, quando me lembrei de lhe recordar esta sugestão que aqui avancei em 2009  .


É a economia estúpida?

Em 1992, a frase "É a economia, estúpido" proferida por  James Carville, marketeer político de Bill Clinton,  apenas não se tornou viral porque a Internet ainda dava os primeiros passos e  não existiam redes sociais, nem blogosfera.
Mesmo assim  ficou imortalizada e para sempre conotada com a vitória de Bill Clinton sobre o então superfavorito Bush pai. 
Apesar de estafada lembrei-me dela ao ler um artigo de Paul Krugman na Visão.
Em determinado passo, escreve o prémio Nobel:
" O Presidente (Donald Trump), apoiado pelo seu partido, diz coisas absurdas, destruindo dia a dia a credibilidade da América. Mas as acções sobem na Bolsa, por isso, qual é o problema?"
Ao ler isto dei por mim a pensar se nos dias de hoje não faria mais sentido substituir a afirmação de James Carville por uma  interrogativa:
"É a economia estúpida?"
Pode não ser estúpida mas, no mínimo, é bastante sádica, não vos parece?