quarta-feira, 22 de março de 2017

Memórias em vinil (88)


Porque hoje se assinalou o Dia Mundial da Água, mas também pelo tema que abordei no post anterior, hoje deixo-vos com esta canção dos Delfins ( Não faz parte da minha discoteca, mas faz parte das minhas memórias).
Boa noite!

Sou como um rio


Rio Whanganui (Nova Zelândia)

A Nova Zelândia não é apenas um país belíssimo. (Dos mais belos que já visitei) É também um país onde as pessoas respeitam a Natureza.
Hoje, Dia Mundial da Água, trago-vos um exemplo do que acabo de escrever. Há precisamente uma semana, no Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, o Parlamento neo-zelandês reconheceu a personalidade jurídica ao rio Whanganui, que assim se torna o primeiro curso de água a ter, legalmente, os mesmos direitos dos seres humanos.
Com este reconhecimento, o governo materializa uma aspiração do povo Maori, que remonta ao século XIX.
A muita gente parecerá estranho que um rio tenha personalidade jurídica e direitos que poderão ser defendidos em tribunal. Lembro que há duas décadas ninguém  pensava ser possível que os animais fossem considerados seres vivos com  protecção jurídica, mas vários países já fizeram esse reconhecimento, entre os quais Portugal, onde a nova lei entra em vigor no dia 1 de Maio.
Se nos lembrarmos como os rios são importantes na vida das pessoas e como influenciaram diversas civilizações ao longo da História, compreenderemos melhor a pretensão do povo Maori agora reconhecida pelo governo da Nova Zelândia.
Neste Dia Mundial da Água- o ouro do século XXI que irá desencadear várias guerras nas próximas décadas- pareceu-me oportuno sublinhar este tributo a um curso de água venerado por um povo que durante mais de um século lutou para consagrar os seus direitos.
Não é uma bizarria. É apenas um primeiro passo para o reconhecimento da importância dos recursos naturais. É que sem água, meus caros amigos, não há vida e é bom que alguém nos lembre isso.

Caderneta de cromos (58)




Ficamos tão indignados com um cabresto holandês que deve apreciar rapazinhos e gosta de  fumar coisas esquisitas, que até nos esquecemos deste cromo tuga.
Constâncio, o homem que à frente do BdP não viu nada de anormal no BPN, encolheu os ombros a avisos de organismos do Estado que o alertavam para a bomba prestes a rebentar no banco de Oliveira e Costa e  meses antes do estouro financeiro mundial de 2007 considerava o nível de endividamento dos portugueses perfeitamente aceitável, vem agora defender a aplicação de sanções contra Portugal.
É por causa de pulhas como Constâncio, que sempre desconfiei do Partido Socialista. Há por lá muitos infiltrados que apenas querem tratar da vidinha e utilizam o partido para se promoverem.
Percebi que Constâncio era um deles em 1985, mas nunca pensei que um dia viesse a justificar o epíteto de TRAIDOR.
Vai para a caderneta de cromos, mas entra pela porta dos fundos, reservada aos merdosos. 

EM TEMPO: Afinal Vitor Constâncio nada terá tido a ver com a proposta do BCE, pelo que apresento as minhas desculpas ao visado e aos leitores por este lapso veiculado pela comunicação social, com base num COMUNICADO enviado às redacções pela Casa Civil da PR. 
Alguém meteu o pé na argola no Palácio de Belém

FY, mr Dijsselbloem!



Este aborto  holandês,  presidente do Eurogrupo,   disse numa entrevista ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine, que os povos do sul da Europa  gastam o dinheiro todo " em  copos e mulheres".
À primeira vista parece surpreendente  que o ministro das finanças do Red Light District, uma das maiores casas de putas da Europa, faça uma acusação destas para explicar porque não se deve emprestar dinheiro aos países do sul.
No entanto tem toda a lógica. Depois de o seu partido ter sido cilindrado nas eleições holandesas, o lugar deste calvinista à frente do Eurogrupo está em risco. Daí, nada melhor do que dar uma entrevista a um jornal alemão de modo a cair nas boas graças do fascista alemão Schaueble.
No entanto, salvo se dê o caso de o holandês preferir gastar o dinheiro a "abafar a palhinha", devia ter escolhido um melhor exemplo. Até porque vivendo numa das maiores casas de putas da Europa, tem grandes probabilidades de ser um  filho da puta.