quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (69)

Faz hoje 30 anos que morreu Zeca Afonso. "Vejam bem" (como o tempo passa!) 

Qualquer canção que escolhesse para estas memórias receberia aplausos ou avisos  "Gosto mais desta". Nem eu consegui obter um consenso comigo mesmo! 

Mas tenho quase  a certeza que a escolha do Zeca para esta noite merece unanimidade.

Boa noite!

Geração "R" ( mas não é rasca...)



Tem sido notícia nos últimos dias:
"Há cada vez mais jovens a consumir Ritalina"
Sinceramente não foi notícia que me preocupasse. Habitado que estou a  ver miúdos de 14, 15 e 16 anos a cair de bêbados ou pedrados com coca em madrugadas de fim de semana ( que começam à quinta-feira), não estranho minimamente que também consumam drogas  legalizadas como a Ritalina. Alegadamente, fazem-no para se concentrarem e conseguirem "absorver" melhor  o tempo de estudo.
Quando era estudante, a Ritalina já era usada em vésperas de exames, ou como "droga dos pobres", por isso, a única coisa que me espantou, inicialmente, foi que os jovens de hoje ainda não tivessem descoberto um sucedâneo, porventura mais potente.
Passei da indiferença à indignação, quando vi um psiquiatra dizer que há pais a administrarem Ritalina a crianças com 2 e 3 anos de idade.  É que isso já  me parece quase crime. 
Hoje, quando falava sobre o assunto com uns amigos, houve um que lembrou que a Ritalina substituía as sopas de cavalo cansado que, noutros tempos, famílias pobres e davam às crianças antes de irem para a escola.
A comparação é extremamente infeliz. 
Com efeito, as crianças que iam para a escola com sopas de vinho eram pobres e os pais. além de serem analfabetos ou pouco instruídos, não tinham mais nada para lhes dar. 
As crianças de 2 e 3  anos que hoje em dia consomem Ritalina, são filhas de pais com poder de compra que não estão para aturar a sua hiperactividade, as suas perguntas e a sua criatividade. Nada melhor, por isso, do que enfiar-lhes uma droga que os deixa como zombies, calminhos e livra os pais de perguntas "chatas" e incómodas. É um sossego.
Gostaria de perguntar a quem de direito,se pais que agem desta forma com os seus filhos não deviam ser inibidos do poder paternal por estarem a criar monstros telecomandados que, atingida a idade adulta, terão certamente comportamentos atípicos
Será que os pais de Donald Trump lhe terão dado Ritalina quando era miúdo?

Um número curioso

Ficou célebre a tirada de Mota Amaral (então presidente da AR) quando, ao  invocar o artº 69º do Regimento, acrescentou um aparte:"curioso número este".
Hoje lembrei-me deste episódio a propósito de um outro número: 10000000000 (Traduzido para português 10 mil milhões)
Parece-me também assaz curioso que este seja o número de euros que entre 2011 e 2014 voaram  de bancos portugueses  para offshores, sem que (aparentemente) o fisco se tenha apercebido.
Porque me parece este número assaz curioso? Simplesmente porque esta fuga se deu na altura em que o PSD e o CDS estavam no governo ( o secretário de estado do tesouro era Paulo Núncio do CDS) e Cavaco Silva era presidente da república.
Obviamente que isto nada tem a ver com BPN, BANIF, ou Novo Banco. Nem com Dias Loureiro, Oliveira e Costa ou outro dos amigos de Cavaco especialistas em finanças alternativas.
Ora, por isso mesmo, é que considero um número assaz curioso. Provavelmente, os 10000000000€ voaram para os offshores na vaca voadora de António Costa. Ou então, o juiz Carlos Alexandre ainda os vai encontrar numa conta de um amigo de Sócrates.