segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (66)


Foi Frankie  Valli quem criou esta canção, um dos grandes sucessos do verão de 1968. Lembro-me perfeitamente da capa do disco, mas na verdade não o tenho no meu baú. 
Tenho sim este "Can't take my eyes off you" interpretada por Gloria Gaynor.
Se não conhecem, não percam.
Boa noite e boa semana

Conversas com o Papalagui (74)

-Então, tuga, foste ao lançamento do livro do Cavaco Silva?
- Não
- Então porquê? Aquilo foi um acontecimento importante e a sala estava a abarrotar
-Pois...mas eu  não reúno  nenhuma das condições necessárias para poder lá estar
- Que condições, tuga?
- Não tenho idade. Não sou  amigo dele. Não sou corrupto, nem sou arguido em processos relacionados com crimes de corrupção. Não enriqueci à custa do Cavaco e, "last but not the least", também nunca lhe dei dinheiro a ganhar, porque não percebo nada de bolsa. Chega?

Cuidado! Perigoso comunista à solta


Pelo menos desde 2012 se sabe que, para poder crescer, Portugal tem de reestruturar a dívida.
Essa hipótese começou por ser avançada por PCP e BE, mas não tardou muito até que Manuela Ferreira Leite e outras personalidades ligadas ao PSD e ao PS defendessem o mesmo.
Os mafiosos pafiosos que andaram a destruir o país durante mais de quatro anos nem queriam ouvir falar de reestruturação da dívida.  Sentados nos seus postos ministeriais, em empresas públicas ou  nas bancadas parlamentares a viver à conta do contribuinte, a  matilha que assaltou o poder acenando com um programa que nunca cumpriu, insistiu sempre na necessidade de infligir uma punição aos portugueses, obrigando-os a pagar a dívida até ao último cêntimo, de acordo com as regras impostas pela troika. Nem que para tal fosse necessário exigir aos trabalhadores trabalho à borla para  o resto da vida e aos pensionistas que abdicassem da totalidade das suas pensões até à morte.
Para aquele grupo de canalhas, quem falasse em reestruturação da dívida ou era comunista, ou vivia noutro planeta. 
A geringonça devolveu a trabalhadores e pensionistas o que o governo dos abjectos pafiosos lhes tinha roubado. Diminuiu a dívida e baixou o défice para níveis históricos, demonstrando que havia alternativa à austeridade cega e vingativa perpetrada por um governo maioritariamente constituído por retornados ressabiados, cujo  programa se resumia a uma única palavra:VINGANÇA
Se outros méritos não tivesse, a geringonça conseguiu o inimaginável: infiltrar um comunista  na CIP e, através de manobras eleitorais, fazê-lo eleger presidente.
Só assim se explica que António Saraiva tenha defendido,este fim de semana, a reestruturação da dívida portuguesa," para aliviar Portugal desta pesada mochila"
Temos de ter muito cuidado, porque os comunistas estão em toda a parte!

Trump and Mr Steps


Faz hoje um mês que Donald Trump chegou à Casa Branca.
Por razões que desconheço, a comunicação social portuguesa escondeu a presença de Mr. Steps no evento.
Passo por isso a divulgar o que se passou nesse dia em Washington, na Pensylvannia Avenue.
Após a tomada de posse, Zacharias Willmot, o mais respeitável conselheiro, disse ao presidente americano que lhe iria apresentar um sósia.
Intrigado e descrente, Trump perguntou:
- Mas onde raio foste encontrar um sósia meu, se eu sou único, Zac?
- Vive em Portugal mr. President. É Mr Steps Rabbitt
- Portugal? Mas isso é no Norte de África, Zac. Como é que  entre essa gente eu podia ter um sósia?
- Portugal fica na Europa, mesmo ao lado de Espanha, mr President.É a terra do Cristiano Ronaldo. Mr Steps Rabbit é branco e  também tem o cabelo alaranjado e olhos claros.
- Que coincidência! E eu a pensar que o Cristiano era africano. Apresenta-me então esse tipo,Zac
No final da cerimónia de tomada de posse, Willmott mandou entrar Mr Steps que, sorridente e altivo, se aproximou de Donald Trump de mão estendida, para o cumprimentar.
Trump olhou-o fixamente, estendeu-lhe a mão, mas logo a retirou e, em tom de desafio, perguntou a Willmott:
- Podes explicar-me quais são as semelhanças entre mim e este lambidinho,Zac?
- Fisicamente poderão não ser como duas gotas de água mas se reparar bem, mr President, vai encontrar muitas semelhanças. Onde são iguaizinhos é no cérebro. Pensam os dois exactamente da mesma maneira. 
- Ah sim? Então e Mr Steps é presidente do país do CR 7?
- Já foi prime minister como a Theresa, mr. President, mas apesar de ter ganho as eleições em Portugal,  a esquerda é que governa...
- Mau, Zac. Então ele é mais parecido com a Hillary do que comigo. Ela  teve mais votos, mas quem governa sou eu. Não percebo porque dizes que ele é meu sósia.
- Desculpe a insistência, mr President, mas mr Steps pensa exactamente da mesma forma que o senhor. A única diferença é que não diz e os portugueses ainda não sabem
- Ah estou a perceber. Portanto, mr Steps é tímido e  quer que eu vá ao país dele dar-lhe uma mãozinha para que o povo do Cristiano  fique a saber que somos amigos e o elejam. True?
-Exacto mr. President
- E o que tem mr Steps para me dar em troca? Não quero hotéis, porque não entro em concorrência com o CR7 e bancos também não me interessam....
- Bem, mr President, quando foi pm, mr Steps vendeu quase tudo o que havia para vender aos chineses e à Lady Merkel.  Agora só se forem os transportes e uns hospitaizecos que ainda são públicos.
- Ah,  ah ah! Well done, Zac. Eu vou lá ajudar mr Steps, mas tenho de me encontrar com  o Ronaldo. Quero que ele compre tudo o que os chineses já compraram. And you, mr Steps, quais são os seus planos depois de eu o fazer eleger President  do país do Ronaldo?
- Expulsar os refugiados e  construir um muro na fronteira com Espanha, porque eles estão a fazer um cemitério nuclear e isso é muito perigoso...
-Nuclear? Mas isso é great, mr Steps! Nada de construir muros. Eu quero é construir umas centrais nucleares no seu país. Depois vendo-lhas a bom preço. Negócio fechado. O seu  país tem mar,mr Steps?
- Milhares de quilómetros de costa marítima mr. President
- Good! Então quero construir onde me apetecer, sem  essa treta dos impactos ambientais. Agree, mr Steps? Good. Zac marca lá a visita  rápido. Já vi que o país de mr Steps é  muito bom para o negócio e não posso perder tempo. Time is money.
- E não gostaria de conversar um pouco com mr Steps sobre as suas ideias? 
- Para quê? Se ele é meu sósia, executa aquilo que eu penso e negócio fechado. Não tenho tempo para conversa fiada. Boa tarde, mr Steps. Foi um prazer negociar consigo, conhecê-lo.