quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (63)


Canções como "Diamonds are Forever" e "Goldfinger" valeram-lhe o epíteto de James Bond's Voice mas Shirley Bassey , que em Janeiro fez 80 anos, foi muito mais do que isso e fez uma carreira recheada  de sucessos, graças à sua poderosa vez.
Cantou grandes clássicos como  "Something", "Yesterday", " Where do I begin" ( do filme Love Story)  "New York, New York",  " Don't cry for me Argentina" ou  "The Magic is you" imprimindo sempre um cunho muito especial às suas interpretações.
Tal como ontem escrevi sobre Aretha Franklin, poderia estar aqui um mês a recordar grandes sucessos de Shirley Bassey, mas fico-me por um tema que considero fabuloso e faz parte da minha discoteca de vinil " Never ,Never, Never".

Vamos contar mentiras?

Parece não restarem dúvidas sobre a trapalhada em que Centeno se meteu por causa da CGD. Fez-se de “Lucas”, mas no ar ficou a pairar a ideia de que terá criado em António Domingues a expectativa de que poderia eximir-se à declaração de rendimentos
Dou isso de barato e até admito, sem qualquer rebuço, que a sua prestação na AR tenha sido pautada por frases dúbias. Razão para que Centeno se demitisse?
Se os mesmos critérios tivessem sido seguidos no tempo do governo anterior, metade dos ministros não tinham chegado a meio do mandato. Esqueçamos as mentiras de vários ministros. Esqueçamos as aldrabices de Passos Coelho, porque têm uma justificação: o ex pm é um aldrabão compulsivo e isso costuma tratar-se clinicamente e não com política.
Cinjamo-nos, pois, às prestações da homóloga de Centeno  no governo dos pafiosos.
A oxigenada ministra das finanças disse na AR que não tinha sido informada das swaps das empresas de transportes. Ficou provado que mentiu
Garantiu nunca ter tido contacto com quaisquer swaps quando trabalhava no IGCP- Ficou provado que mentiu.
Em Portugal afirmou sempre que os cortes nas pensões e salários eram temporários. Veio a saber-se que ela garantiu aos amigos Schaueble e Djissolboem que esses cortes seriam definitivos.
Também me recordo das mentiras de Marilú sobre o Novo Banco e o BANIF. E lembro-me de muitas outras minudências que mostram o carácter da oxigenada que substituiu Vítor Gaspar, provocando a demissão irrevogável de Portas ( durante 10 minutos).
Face a tanta mentira, Marilú demitiu-se? O mentiroso compulsivo Passos Coelho demitiu-se? Não. Então por que raio haveria de demitir-se Centeno?