sábado, 14 de janeiro de 2017

Chazinhos da Paróquia (1)

Começo as sugestões de fins de semana bem lá pelo Norte, para não começarem já a pensar que só vou dar ideias para quem vive em Lisboa e no Porto. Nada disso. O propósito desta rubrica é percorrer o país, com sugestões gastronómicas e  culturais de âmbito local, bem como de locais agradáveis para pernoitar. Para além disso, haverá sempre um livro e um filme.
A escolha do Norte justifica-se porque ontem foi sexta-feira 13 e, em Montalegre, há uma celebração nestas datas que atrai sempre muitos forasteiros. Se ontem não esteve lá, guarde estas sugestões para a próxima sexta-feira 13 que será apenas em Outubro.
Seja em que altura for  guarde um fim de semana para conhecer a região, que tem muitos encantos.
Para começar aproveite a  manhã  para visitar o castelo ( incluindo a Igreja)  e guardar na retina a magnífica vista.
O mais provável é que esteja bastante frio ( mesmo que só vá na sexta-feira 13 de Outubro)  por isso meta-se no carro e dê um salto a Pitões das Júnias uma das mais altas aldeias portuguesas.



Localizada  a cerca de 1200 m de altitude, permite-nos ter uma vista abrangente sobre o Gerês. 
Visita obrigatória em Pitões das Júnias é o Mosteiro de Santa Maria. Mesmo com frio vale a pena aproveitar para respirar o ar puro e fazer uma boa caminhada. Aproveite para conversar com os habitantes, gente simpática e conversadora, que lhe dará preciosas informações sobre os locais que deve visitar. Entre eles, estarão de certeza absoluta  a barragem e as cascatas de Pitões.
Já está faminto e apetece-lhe  devorar todos os enchidos que viu numa montra? Tenha calma. Aguente-se com uma bucha, porque tenho um conselho para lhe dar para almoço: o restaurante Dom Pedro, onde pode provar a deliciosa carne barrosã, ou um  belo bacalhau.
 Até lá ( ou depois do almoço, para fazer a digestão) procure os vestígios de vida urbana que pode ainda encontrar em Pitões ( nomeadamente casas e fornos colectivos) .É natural que durante as suas deambulações aviste alguns cavalos selvagens e uns Castro Laboreiro. Menos provável é encontrar lobos. Embora esteja em plena rota do Lobo Ibérico, os Castro Laboreiro põem os lobos em sentido
.

Chegou a hora de regressar ao carro.  Neste momento já não lhe apetece enchidos, mas homem prevenido vale por dois, por isso, se está neste fim de semana em terras de Barroso e Alto Tâmega,  rume até Boticas. onde está a decorrer uma feira de enchidos e fumeiro.
Noutro fim de semana, a minha  sugestão é que adquira os fumeiros em Pitões das Júnias  ou Montalegre. Vai ver que quando regressar a casa vai agradecer-me por lhe ter sugerido a compra destes petiscos.
De Boticas, rume a Chaves e instale-se no Hotel do Forte de S. Francisco. Já anoiteceu, está cansado é altura de relaxar um pouco. Vá até ao bar/taberna do hotel, peça uma bebida e aproveite o tempo até ao jantar para ler.
O restaurante do Hotel é uma boa sugestão para jantar. A lista é variada e tem uma razoável carta de vinhos.
À noite vá até ao centro histórico  e, no dia seguinte, pela manhã, pode seguir algumas destas sugestões. Esqueça os incêndios, mas não a compra dos  pastéis de Chaves.


Mas se lhe apetece mais ficar a descansar num hotel e esquecer a cidade, então sugiro-lhe que pernoite em Vidago,  no remodelado Hotel Palácio. Além de poder desfrutar de todos os serviços do  Hotel ( incluindo piscina. sauna e jacuzzi) , ainda tem os magníficos jardins para passear. A pé, de bicicleta ou a cavalo. O restaurante, embora carote, está de acordo com a qualidade do hotel


No regresso a casa, ( se ainda tiver tempo) visite  Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena e Valpaços.


O LIVRO: Depois de um  fim de semana tão cheio, não lhe deve ter restado muito tempo para leituras, mas a pensar em quem ficou por casa recomendo a leitura de O Labirinto dos Espíritos. Último livro da tetralogia Cemitério dos Livros Esquecidos, esta obra de Carlos Ruiz Zafon é tão bela como as anteriores e é mais uma oportunidade de passear na Barcelona gótica através da escrita emocionante e imprevisível do grande escritor espanhol. 

O FILME:  Eu, Daniel Blake Um filme revoltante, por vezes deprimente, mas que retrata o mundo actual  de uma forma crua, quase cruel. Um mundo onde quem trabalha deixou de ter voz, direitos e...VIDA!
Para quem prefira um filme histórico, sugiro ZEUS, a história de Manuel Teixeira Gomes,o escritor que se tornou presidente da república e acabaria por emigrar para o norte de África durante o fascismo.


É APROVEITAR! Só dura este fim de semana e recomendo a quem vive na área de Lisboa. Na Gulbenkian, até domingo, são apresentados 10 projectos apoiados pelo Programa PARTIS (Práticas Artísticas para a Inclusão Social). São projectos que visam integrar socialmente crianças e jovens em risco, ex-reclusos, refugiados, pessoas com deficiência e desempregados. A entrada é livre.
Fico-me por aqui.Na companhia de livros, a ver um filme,ou a passear, o importante é que tenha um excelente fim de semana. Divirta-se, descontraia e goze a vida!