quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

E bibó Porto, carago!

Há 30 anos e um dia, pelas cinco da manhã, estava eu sentado diante de um televisor a ver um jogo a preto e branco num televisor a cores.
O jogo realizou-se em Tóquio, entre as equipas do Peñarol e do FC do Porto  e em disputa estava a Taça Intercontinental , precursora  do Mundial de Clubes.
Sob uma memorável tempestade de neve que transformou o relvado num batatal onde era impossível jogar à bola, o FC do Porto foi mais feliz e conquistou o título que por duas vezes escapou ao Benfica, copiosamente goleado pelos brasileiros do Santos e pelos mesmos uruguaios do Peñarolem finais do mesmo troféu disputadas nos anos 60.
A vitória épica do FC do Porto culminava um ano de sucessos internacionais, com a vitória na Taça dos Campeões Europeus e na Supertaça Europeia e marcou o início de um conjunto alargado de sucessos internacionais, que tornaram o FC do Porto a equipa portuguesa com mais títulos europeus e mundiais.
Como dizia no final do jogo o comentador da RTP, "a partir de hoje nada será como dantes". Palavras premonitórias e certeiras. Durante 25 anos, a hegemonia dos azuis e brancos foi total. Até que o regresso às influências subterrâneas determinou novo período hegemónico dos encarnados. Até quando? Até que a justiça se pronuncie e os árbitros deixem de ter medo do eucalipto vermelho.
Eu sei que o sucesso dos azuis e brancos custa a engolir aos benfiquistas, mas é isso que me distingue dos adeptos encarnados. É que eu sou capaz de gritar Vivó Benfica ( ora leiam o que escrevi aqui) coisa que nenhum benfiquista consegue fazer em relação ao FC do Porto.

2 comentários:

  1. Apoiado!
    Prepare-se, este seu post irá despertar azias. :)

    https://www.dinheirovivo.pt/opiniao/opiniao-realidade-alucinada/

    ResponderEliminar