quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Ó tempo volta p'ra trás

Pela enésima vez lembro os leitores que entendo perfeitamente a luta dos professores. Isso não impede, porém, que critique as suas pretensões.
Não era preciso o PR vir lembrar-lhes que o tempo não volta atrás.  
Os professores têm obrigação de saber  que, assim como depois de um incêndio, ou de uma cheia,  as áreas afectadas pela catástrofe não voltarão a ser as mesmas, também será impossível recuperar, para efeitos de progressão na carreira,  o tempo que lhes foi roubado.
A insistência na recuperação desse tempo é, além de impossível, uma  pretensão egoísta e injusta. Os professores não têm o direito de exigir para eles o que não pode ser dado a outros funcionários públicos.
Compreendo que Mário Nogueira queira mostrar músculo, depois da derrota do PCP nas autárquicas. Não aceito que utilize os professores como arma de arremesso, nem entendo que os professores se deixem manipular como marionetas numa luta política, mascarada de reivindicação laboral. Isso denota falta de inteligência. Se assim não for, então é egoísmo puro. Em ambos os casos, os professores ficam mal na fotografia.

Sem comentários:

Enviar um comentário