sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O Cinquentenário

Faz hoje 50 anos, um jovem deixou a casa dos pais e veio para Lisboa estudar. Trazia a cabeça povoada de sonhos e a certeza de que nunca seria advogado, apesar de estar inscrito na Faculdade de Direito.
Trazia na bagagem o entusiasmo de quem se ia tornar independente a muito breve prazo e que de Lisboa partiria para percorrer o mundo.
Cumpriu-se a sua vontade e o seu destino. Cinquenta anos depois, o jovem percorreu os caminhos que tinha traçado. Embora não tenha tido oportunidade de os explorar a todos como pretendia,  tem a convicção de que soube viver a vida e a aproveitou na plenitude. Nada tem para lamentar no dia em que o seu prazo de validade expirar. Isso é suficiente para ser feliz e encarar a morte com naturalidade. Como mais um capítulo da sua (não) existência.


4 comentários:

  1. Um homem que está de bem com a vida e com a morte.

    Beijinhos da amiga que quer que o prazo de validade se prolongue eternamente.

    ResponderEliminar
  2. Como não se aceitam devoluções, o tal homem tem que continuar por cá durante muitos anos.

    Um abraço com votos de bom fim de semana, Carlos.

    ResponderEliminar
  3. Muitos parabéns pelo cinquentenário! E que o prazo de validade seja GRANDE....

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. É caso para dizer: "valeu a pena ter vivido o que vivi..." Todos nascemos com prazo de validade. Ainda bem que tem aproveitado bem esse espaço de tampo. Já eu não posso dizer que consegui ser independente. Hoje também faz anos um senhor que foi meu colega e que foi o meu primeiro e único namorado, segundo as convenções da época. Mas o afastamento na guerra durante vários anos, fez morrer a ligação, porque alguém veio atrás dele. A partir daí não houve mais nada de oficial, para não se criarem laços, que me vieram chatear a cabeça. Só fui independente porque sempre vivi do meu trabalho e ajudei outros a viverem. Hoje ninguém (excepto os gatos e as plantas) depende de mim e eu por enquanto não dependo de ninguém. Se isso vier a acontecer só espero desaparecer depressa ou ter a força suficiente para acabar com isso.
    Muita força e que ânimo não lhe falte! O Rio da Pedra espera por si.
    Abraço
    Gisela

    Uma versão diferente:


    https://www.youtube.com/watch?v=xBSuxSQQkFE

    ResponderEliminar