segunda-feira, 16 de outubro de 2017

E mais Pedrógãos virão...




Quem acredita que nos próximos anos não haverá mais Pedrógãos, ou vive na Lua, ou é ignorante.
Há 30 anos que sabíamos que os incêndios iriam ser uma calamidade em Portugal. Mas também em toda a Península Ibérica, na Califórnia, na Austrália e na América do Sul ( especialmente no Chile). Pode dizer-se, com razão, que o Estado devia ter aplicado medidas preventivas que atenuassem os efeitos dos incêndios, até porque já tínhamos sido avisados pelo menos duas vezes este século de que os incêndios tinham tendência a tornar-se mais devastadores. A verdade é que pelo menos na Califórnia e na Austrália foram tomadas medidas e as notícias e imagens que ainda hoje chegam da Califórnia são aterradoras. 
Podem continuar a pedir a cabeça da ministra como troféu, ou exigir a demissão do governo, mas novos Pedrógãos são inevitáveis porque as alterações climáticas criam condições favoráveis a ocorrências aparentemente inexplicáveis. Escrevi dezenas de artigos sobre este assunto e não terei sido o único a não me surpreender com a tragédia de Pedrógão. Surpreende-me mais que haja pessoas a exigir a demissão da ministra, como se o problema se resolvesse com mudança de rostos ou de cadeiras, quando em causa estão catástrofes naturais.
Os inúmeros testemunhos de populares, ouvidos ao longo do dia, afiançam que nunca foram vistas condições atmosféricas como as verificadas durante os incêndios de ontem.  
Para desgosto dos mais cépticos e dos que gostam de fazer aproveitamento político das catástrofes, estes testemunhos e a realidade confirmam que, pelo menos desde Pedrógão, são conhecidas e experienciadas as alterações climáticas que afectam Portugal e propiciam a rápida propagação das chamas.
Esse reconhecimento não invalida, porém,  que acredite na possibilidade  de reduzir o número de incêndios. Não acredito é que isso seja possível com brandos costumes.
Enquanto incendiários apanhados em flagrante continuarem a ser mandados em paz, ou a serem punidos  com penas ridículas (quase sempre suspensas);
Enquanto as autoridades continuarem a fechar os olhos a quem faz queimadas;
Enquanto não forem proibidos os foguetes e fogos de artifício em tudo quanto é romaria, durante os meses de Verão;
Enquanto não forem punidas severamente as faltas de civismo dos condutores, propiciadoras de provocar ignições;
Enquanto não se repensar a Floresta e o Ordenamento do Território;
Enquanto os partidos políticos continuarem a usar os incêndios como arma de arremesso político, em vez de se porem  de acordo sobre as medidas essenciais e urgentes que são necessárias para diminuir o risco de incêndios ( repensar a Floresta, o Ordenamento do Território, a política dos baldios e um conjunto alargado de penas dissuasoras para comportamentos cívicos que funcionam como ignição de incêndios);
Enquanto as estradas florestais continuarem a ser caminhos de cabras destinados apenas a veículos todo terreno;
Enquanto não houver coragem de combater as mafias dos fogos;
Enquanto continuarmos a ser este maldito país de Brandos Costumes, onde proliferam os irresponsáveis e egoístas, os incêndios continuarão a consumir o país e os nossos recursos naturais. 
Tudo isto, aliado à incontornável questão das alterações climáticas ( que muitos continuam a negar, apesar das evidências ) contribuirá para destruir o nosso património Natural.
 Sem medidas drásticas, mais incêndios hão-de vir, o país continuará a arder e toda a gente a lamentar o horror,  mas nada impedirá que novos Pedrógãos ocorram. Parafraseando Marcelo Rebelo de Sousa, diria que chega de conversa e de apontar dedos a potenciais culpados. É altura de mudarmos de vida, antes que as alterações climáticas acabem com ela neste rectângulo à beira mar plantado.
Não há nada a fazer por quem não perceba isso. A não ser perguntar-lhes se  dão razão  aos galegos que nos estão a culpar dos incêndios  que devastam a Galiza.
Uma vez que não vejo os povos desses países a pedirem a demissão de nenhum ministro palpita-me que, não tarda nada, ainda alguém  vai culpar o governo dos incêndios na Califórnia, no Chile ou na  Austrália.
Nessa altura, Constança Urbano de Sousa demite-se ou será demitida e os ministros da Administração Interna desses países permanecerão nos seus lugares, porque já foi encontrado um culpado. Para gáudio de Assunção Cristas e pafiosos similares. 

16 comentários:

  1. Não há jornal,rádio ou televisão que não titule: O PAÍS ESTÁ A ARDER ! Digo~lhe à fé de quem sou,fiz agora Faro-Viana de Castelo,não vi fogo nenhum! Nem um! Vi fumo,sim senhor,mas tal não diz que o País esteja a arder,só diz que alguns histéricos estão de cabeça perdida! Tão perdida que se esqueceram de dizer,no sábado,que vinha aí um domingo muito quente seguido de uma semana prevista de chuva e essa era a última oportunidade do ano para os pirómanos! Prognósticos de fim de jogo metam-nos onde gostam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez eles consigam o que querem, porque o martelo já ficou histérico. No dia 15/10 terminou a operação Charlie, por isso tiveram de aproveitar ao máximo para deitar foguetes, num dia tão quente e seco, nas festas religiosas e aproveitar os ventos que se aproximavam...De alguma maneira têm de conseguir os objectivos, sem poder é que ele não passam.

      Eliminar
    2. Já tinha avisado que, mais tarde ou mais cedo, isto ia acontecer. Ainda no dia 29 de Setembro, depois do encontro de Marcelo com Teresa Leal Coelho escrevi que o divórcio seria certo.

      Eliminar
  2. Não vou gastar mais tempo nem latim porque realmente não vale a pena.
    Ouçam o insuspeito Miguel Sousa Tavares.
    Ou este também é dos que conspiram para deitar abaixo a sacrossanta geringonça?
    http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-10-16-Cada-hora-que-a-ministra-continua-em-funcoes-demonstra-a-falta-de-brio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em vez do MST, sugeria-lhe que lesse/ouvisse as declarações do presidente da câmara de Vagos ( que por acaso é do PSD). Ou então de alguns populares que estiveram a combater as chamas e têm experiência na matéria. se seguir a minha sugestão, vai compreender que o andaram a enganar na narrativa. É que não há nada melhor do que escutar quem está no terreno. Para o peditório dos comentadores já dei. Principalmente para MST que conheço desde miúdo. O seu ódio aos funcionários públicos ( que ainda ontem expressou na SIC) para mim é razão mais do que suficiente, mas sempre acrescento que a questão não se resolve com mudança de caras, mas sim de políticas. E há 30 anos que não há política de floresta em Portugal
      Mas se insiste na demissão da ministra, Pedro, permita-me que lhe pergunte: também foi assim exigente quando assunção Cristas esclareceu os portugueses que se não chovesse ia rezar a Nossa Senhora de Fátima? Os criacionistas também pensam assim

      Eliminar
    2. O MST foi um sabujo a fazer comentários. Ele limpa o seu monte e quer ter gado para caça.

      Eliminar
    3. Fui, Carlos. O Carlos já sabe que não tenho cor política. Quem diz essas barbaridades tem que ir para o olho da rua...ontem.

      Eliminar
  3. A maior vítima foi a Ministra da Administração que não teve férias. O resto não doeu muito.

    ResponderEliminar
  4. Não me apetece comentar. E estou contra o governo, sim. E contra mim e mais todos os portugueses que não exigiram do governo medidas mais rápidas. Passados 4 meses a resposta continua a mesma. Não ligo à palerma da ministra que perante sabe-se lá o numero de mortos que desta vez já vai em mais de quarenta, diz que não teve férias, a pobre. Estarão melhor que ela os que tiveram férias e morreram; os que perderam tudo do pouco que juntaram e já não têm vida que lhes permita recomeçar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bea, por acaso reparou quando foi de Pedrógão, numa enorme mansão cercada de árvores por todo o lado sem acessos, sem bocas de incêndio, nem a porcaria dum tanque ou duma nora , como tínhamos lá em baixo. Só de olhar me senti asfixiada. Quem foi o autarca que autorizou tamanha barbaridade, ou não teve coragem de mandar demolir porque devia de ser gente amiga e conhecida. Se muita gente conhecesse os PDM, incluindo o pr estavam de boda calada.

      Eliminar
    2. Eu acrescentaria apenas uma coisa, Anfitrite:a maioria das pessoas que manda bocas nem o país conhece. Conhece Cancun, Varadero, umas praias giras nas Caraíbas, mas em Portugal conhece apenas o Algarve litoral.
      Seja bem regressada! Temos notado a sua ausência. Nem foi ver os seus postais...

      Eliminar
    3. E de Cancun e muitos sítios só lhes deixam ver o que está preparado para turistas. Eu gostaria de viver até o mar retomar no Algarve aquilo que lhe roubaram. Aldeias para turistas alemães, construídas pelo ..Cabrita e outros tantos em cima de canaviais, com mosquitos e cheiro a podre..
      Carlos, houve uns dias que não consegui aparecer por aqui, por causa do que contou sobre o que lhe aconteceu, de tão impressionada que fiquei. Para compensar tenho posto alguns dos seus postais no meu FB. Há certas coisas que eu não consigo aceitar. Encontrei agora, que ando também a fazer limpezas, mais postais, incluindo um de Lausanne de que tanto gostei. Agora vou procurar os outros...

      Eliminar
  5. Concordo plenamente com a análise que faz à ministra, Bea. Deviam tê-la proibido de falar, porque é demasiado emotiva e diz o que pensa, antes de pensar no que diz. Considero, porém, uma profunda injustiça os ataques soezes que lhe têm sido feitos pela direita ressabiada.

    ResponderEliminar
  6. https://www.youtube.com/watch?v=lfM1TgSZP_A

    ResponderEliminar