segunda-feira, 4 de setembro de 2017

10 anos é muito tempo...



Há 10 anos publicava aqui o meu primeiro post. Pensava, então, que seria uma experiência para durar 2 ou 3 anos, porque não teria pachorra para mais.
Dez anos e 10700 posts depois, continuo por aqui. Sem a disponibilidade de outros tempos, mas sempre empenhado. 
Os amigos que por aqui fiz ( alguns tornaram-se amigos na vida real) e o crescente número de leitores, especialmente nos últimos três anos, foram adiando o encerramento deste  Rochedo. 
Ao contrário do FB, de que me cansei porque é o espelho de uma sociedade doente, a blogosfera continua a ser um saudável espaço de liberdade e sã convivência onde me dá prazer estar.
Enquanto puder e me apetecer vou continuando por aqui. Reitero os meus agradecimentos a todos os que por aqui passam ( 2 milhões e meio de visitantes) a uma média diária superior a 2 mil. E aproveito para vos convidar a dizerem da vossa justiça.
Obrigado a todos.

44 comentários:

  1. Pabéns Carlos e continue !!!

    Abraço

    Ps. O meu já vai em oito anos :-)

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelos 10 anos do Blogue. E muito obrigada por tudo o que tenho aprendido aqui desde que o descobri. Não comento muitas vezes porque nem sempre percebo o mínimo do assunto que me permita dizer alguma coisa de jeito.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Elvira. Eu é que agradeço a sua assídua presença neste Rochedo. Abraço

      Eliminar
  3. Parabéns!Descobri o seu blog há pouco tempo e gosto muito!

    ResponderEliminar
  4. Sinceros parabéns, Carlos.
    O resto é já a seguir.

    ResponderEliminar
  5. Não acompanho o Crónicas do Rochedo há dez anos, mas quase.

    Parabéns ao autor das crónicas políticas e sociais, embora não esteja sempre de acordo.

    Abraço de amizade da amiga sempre tuga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade raras vezes estamos de acordo, mas no essencial até concordamos muitas vezes. Além disso, as nossas discordâncias são civilizadas ( o que não quer dizer que por vezes não haja exaltações...) Obrigado por andar por aqui há tanto tempo a aturar este tuga com tão mau feitio. Beijinho

      Eliminar
  6. Com um grande abraço fica o meu agradecimento pelo que no Rochedo se escreve há dez anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és um dos mais antigos aqui na casa e por isso te digo, Luís, que não te perdoo teres abandonado a minha Barbearia favorita. Um grande abraço e obrigado pelas tuas palavras

      Eliminar
  7. Dez anos é muito tempo, Carlos ! ... Não sei se chegarei lá. (?)
    Parabéns pelo aniversário e pelo blog !!!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que chega, Rui. A blogosfera não dispensa os seus interessantes e engenhosos desafios
      Obrigado e um grande abraço

      Eliminar
    2. Enquanto eu andar neste mundo, QUERO encontrar aqui os meus melhores amigos.

      Não dispenso os desafios do Rui, nem as picadelas de escorpião do Carlos.

      Um abraço de Düsseldorf com a maior simpatia e amizade da amiga de sempre Teresa

      Eliminar
    3. :) Pela minha parte, muito obrigado, Teresa .:)

      Eliminar
  8. Como se diz aqui para as minhas bandas, "10700 posts" é muita fruta! Parabéns Carlos, que venham muitos mais, mesmo que não tenha aquela disponibilidade, mas que continue a dar-nos as suas cronicas.

    Um beijinho com muito carinho e amizade.

    Adélia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como dizia um tio meu, quando lhe perguntavam como estava, eu digo em relação ao CR: vou teimando
      Obrigado pela sua amizade e disponibilidade, Adélia. Beijinho grande

      Eliminar
  9. Ora muito bem! Fico feliz por continuar a gostar de andar por aqui e a pensar e a escrever e a dizer "de sua justiça".

    Parabéns, parabéns, parabéns!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A teimosia escorpiana é que me vai aguentando, Graça. Obrigado , obrigado, obrigado! :-)

      Eliminar
  10. Lá tenho de desejar muitos anos de vida ao blogue e parabéns ao seu autor. este é o único blogue que visito diariamente, a seguir vem o Jumento, porque gosto de todos os temas que aqui são tratados. Detesto fofoquices e receitas domésticas, por isso não ia muito ao outro seu blogue mas cada um é para o que nasce. Acho que o descobri logo no princípio quando visitou outro que eu participava diariamente (e vim atrás de si), mas que ficou abandonado porque o seu autor( que é da sua idade, incluindo o mês de nascimento e da sua terra que se faz de santo e vítima mas tem um ego muito elevado), prefere ter 30 e tal mil seguidores do FB, onde todos os dias dizem as mesmas baboseiras. Eu quando entro nestas coisas é para ter alguma utilidade, nem que seja só para agitar a malta. Detesto fanáticos, sectários e mentes fechadas. Um grande abraço virtual.
    "Parabéns a você" por Beethoven, Chopin, Bach ou Mozart...????


    http://www.youtube.com/watch_popup?v=S75gYhODS0M

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelos parabéns, por teimar em andar por aqui, Anfitrite e, principalmente, pela preciosa informação que sempre nos traz. Claro que tem o defeito de ser benfiquista fanática e anti-portista primária, mas ninguém é perfeito.
      Já agora, pode dizer-me qual era o blog do meu conterrâneo?.

      Eliminar
    2. Fui demasiado explícita para que entendesse. Desculpe a expressão mas a malta do Puerto não será mesmo morcona? Eu não sou benfiquista fanática. Na minha terra só se ouvia falar do Benfica e até havia um Louletano que acho que chegou a ser da 2ª. divisão. Uma vez fui ver um jogo, um sujeito levou com a bola no focinho, começou a jorrar sangue e eu cavei. Desde aí acho que não vi mais um jogo de futebol. Só em diferido depois de saber o resultado. Estava a mentir. Esqueci-me que estava a jantar num restaurante das Areis, que tinham o raio da TV. ligada e vi o Feher morrer em directo. Nem sei como não vomitei a garoupa grelhada, que tinha sido acompanhada daquele especial branco seco de que eu gosto em especial. Porreiro não é?.
      Eu detesto a malta do Porto por ser tão bairrista e senhora do seu nariz. Por outro lado eu nunca consegui desligar a criatura do criador. E quem tem um presidente tão asqueroso, não pode gostar do Porto. Já está lá há tempo demais e como já lhe disse adorei o Pedroto que aquilo ser uma equipa. Também gosto do AJ, porque vinha da ACAD. mas quanto a cagança lhe chegou ao nariz até gostei que ele fosse... pela 2ª. sem saber. Veja lá o que eu sei de devolvidos. E pode crer que sou perfeita e tenho pena de não ter um exemplar igual para me substituir. E como eu gosto de falar mal para fazer concorrência às varinas do Bolhão! Mas sempre fui muito bem recebida no Porto e gosto de cada um especial, mas não no geral. Mas há anos que lá não vou, como não vou a outros lados. Até tenho um episódio giro para mostrar como eu sou parva. Tive uma grande colega e amiga de bosa viagens também, que casou com um portista, eu até dei dicas para a decoração da rica casa na AV. da Boavista, em frente ao Dallas, mas ela só tinha direito a mobilar o quarto à sua vontade. A sala parecia um harém de vampiros, porque me falta agora o nome. mais tarde com a mudança de telefones, perdi-lhe o contacto. Um dia oiço o irmão dela a falar da TSF, em nome duma Institução e aí vou eu a correr ligar para o César, irmão mais velho, a cuja casa eu também fui, quando viviam todos juntos em Lisboa embora fossem de Vila-Real-Mateus (também andei lá no circuito). Identifiquei-me, claro que ele se lembrava de mim-quem não lembra- ficou com os meus contactos. Ia falar com a irmã e dai a pouco estava ela a ligar-me porque tinha largado o Porto e tinha vindo morar para uma quinta condomínio, muito conhecido ai para os lados de Sintra. Só podia ser. Como vê eu descubro tudo. e não me d~e conversa senão eu não me calo mais. Até uma vez perguntei a um senhor que dançou comigo no Wispers, na festa que o Jornal (semanário de boas lembranças) deu quando fazia anos e nesse ofereceu uma brochura com os Descobrimentos. Está a leilão porque há poucos exemplares. Foi uma noite tão divertida, ainda o Cáceres era vivo, se calhar encontrou-o em Macau quando ele fazia visitas, mas foi tão divertida que eu deixei lá as chaves do carro, que caíram da algibeira do casaco, e como só saímos no fim vim de boleia e no outro dia o porteiro entregou-as. Gosto de recordar estas coisas simples mas engraçadas...

      Eliminar
    3. Não precisa de fazer desenhos para eu perceber, Anfitrite :-)
      Vou tentar voltar com mais tempo para responder ao seu comentário

      Eliminar
  11. No dia de aniversário da minha filha Mariana.
    Venham mais dez!

    ResponderEliminar
  12. Não descobri o Rochedo logo no seu início, mas quando o descobri não mais o larguei, embora com poucos comentários.
    Gosto da sua maneira de chamar os bois pelos nomes, da sua frontalidade, da sua sua forma de ver a vida, de não virar a cara, de responder aos comentários com argumentos.
    E claro não podemos estar sempre todos de acordo. Geralmente estou.
    Excepto quando se manifesta a sua costela fcpista fanática e o seu anti-benfiquismo quase primário.
    Aí exagera.
    O Rochedo faz-nos falta, quase como pão para a boca. Vozes livres e independentes, fora do politicamente correcto, há poucas!
    Desejo longa vida ao Rochedo e seu autor, sempre do lado dos mais fracos, contra as injustiças da vida.

    Nota - sou nordestino assumido e convicto, vivi/vivo em Lisboa, para mim não há Vs, só Bs!,sou benfiquista muito suave (em 70 anos de vida fui 2 vezes ao estado da Luz e não vejo futebol na TV), considero o Porto uma cidade notável e os seus habitantes agradáveis e acolhedores, sem papas na língua (tenho amigos do coração no Porto), excepto os seguidores fanáticos do homem da fruta, que exacerbou um bairrismo doentio (é sempre desejável ter um inimigo externo para disfarçar as "discrepâncias" internas). Que vivam o Porto e os seus habitantes, mais as suas tripas e francesinhas, entre outras coisas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O bairrismo é o maior pecadilho dos portuenses, Duarte. No entanto, o centralismo lisboeta também não é nada salutar. Não gosto de pessoas que se sentem superiores só porque vivem na capital. Alguns dos que para aqui vêm, ao fim de seis meses já estão a renegar as origens e a considerar Lx o máximo. Saí do Porto há 50 anos ( cumprem-se em Outubro). Saí zangado com a cidade e com os seus tiques bairristas. Menos de quatro décadas depois voltei a apaixonar-me pelo Porto e pela primeira vez senti que ela estava dentro de mim.
      Obrigado pelas suas palavras e pela sua fidelidade ao CR. Abraço

      Eliminar
  13. Amigo, espero ter o prazer da tua companhia por muitas mais décadas, até porque partilho a tua opinião acerca do Facebook e da blogosfera.

    Abraço de parabéns, desejando-te tudo de bom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se permanecesse por cá algumas décadas, certamente já não conseguiria escrever, amiga. Há um tempo para tudo: nascer, viver e morrer. É a Lei da Vida.
      Tudo de bom para ti, amiga. Abraço apertado

      Eliminar
  14. Muitos parabéns, Carlos, por este seu Rochedo resistente. :) Que por cá vá continuando por muito mais tempo. Também eu prefiro mil vezes os blogues ao FB.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Luísa. Espero regressar em breve, depois de uma curta pausa.

      Eliminar
  15. Venham mais dez, então , pelo menos!

    ResponderEliminar
  16. Parabéns.
    Tem um Blog que muito aprecio e visito frequentemente, embora raramente deixe comentários. Geralmente, comungo das suas ideias. Continue. Felicidades e longa vida ao autor e ao CR. UM

    ResponderEliminar
  17. Muito obrigado e venham de lá mais 10.

    ResponderEliminar
  18. SO TEM UM DEFEITO SER DO FCP. EU EM OPORTUGSL SOU SLB DEFEITO FAMILIAR MAS O MEU CLUBE VERDADEIRO É O PSG, MENOS O ANÃO PASPALHAÇO COMPRARAM NA FEIRA DO GADO.

    ResponderEliminar
  19. Muitos parabéns! (sorry pelo atraso)

    ResponderEliminar