quinta-feira, 20 de julho de 2017

O nosso Le Pen

Já ouvi e li muitos lamentos por não termos em Portugal um homólogo de Le Pen.
Chegou finalmente a hora de esses saudosistas festejarem a entrada em cena do seu redentor. 
É comentador desportivo, veste a camisola do SLB, escreveu um livro em co-autoria com a taróloga Maya, é professor universitário e, ao contrário do que seria de esperar, não chegou à política pela mão do PNR, mas sim do PSD, cujo lider o escolheu para candidato à CM Loures. 
Não foi uma escolha acidental, obviamente. Ventura assenta como uma luva na estratégia do PSD: 
Uma vitória de André Ventura em Loures, pode servir de rastilho para despoletar a xenobobia e o racismo que existe na mentalidade portuguesa, especialmente no seio dos retornados, saudosos dos tempos colonialistas que transformou pobres diabos em grandes senhores, graças à exploração dos pretos e são a sua grande base de apoio.
Vivemos num país livre, o  senhor Ventura tem direito à sua opinião  e a dizer as alarvidades que lhe apetecer.
A extrema direita agradece e rejubila com o candidato Ventura. Às cavalitas de um partido que se reclama "democrático" consegue apresentar um candidato com possibilidade de vencer uma eleição democrática.
O PSD tem sido barriga de aluguer de muitas alarvidades. Não me espanta que também sirva de porta de entrada à extrema-direita.

Sem comentários:

Enviar um comentário