segunda-feira, 19 de junho de 2017

TVI e Correio da Manhã: a mesma luta


Há poucos anos, Judite de Sousa perdeu  um filho em circunstâncias trágicas. 
Já que nunca teve a noção do que era ser jornalista, poderia pelo menos lembrar-se que os mortos devem ser respeitados.
Fazer uma reportagem sobre uma catástrofe junto a um cadáver é de uma imbecilidade sem nome. Interditem esta gaja ou, no mínimo, impeçam-na de sair do estúdio, por favor!
Na concorrência entre a TVI e a CMTV pelo jornalismo mais cretino e imbecil, não pode valer tudo.
Eu sei que procuram agradar à tugalhada com apenas um neurónio, que adora desgraças, crimes  e  cenas macabras, mas não usem o jornalismo para alimentar a perversão mental dos portugueses, por favor!

12 comentários:

  1. É exactamente para agradar à "tugalhada com apenas um neurónio, que adora desgraças, crimes e cenas macabras" que esta espécie de 'jornaleirismo' se pratica.
    Ahhh, para isso e para encher o ego quando as estatísticas dizem que são os mais vistos/lidos.

    Quanto a Judite, respeitada no seu pedido aquando da perda do filho, apenas digo que há muito atingiu o grau menos da carreira de jornalista. Se é que alguma vez o foi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho as minhas dúvidas, António. Ainda hoje a vi na entrevista ao António Costa e apeteceu-me telefonar ao Zé Alberto a dizer que tinha obrigação de a proteger e não a expor ao ridículo. Dá pena!

      Eliminar
  2. Carlos, Carlos!!
    Não sei o que está a acontecer ,mas ultimamente tenho concordado plenamente consigo.

    Que mau gosto, que jornalismo decrépito. A comunicação social tem responsabilidades: de relatar a verdade, de demonstrar neutralidade e até de educar a população.

    Triste.

    ResponderEliminar
  3. Falta de sensibilidade ou falta de neurónios???
    Provavelmente ambos.
    Não se compreende.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Judite de Sousa quando perdeu o filho de forma tão trágica pediu privacidade, parcimónia.
    Onde é que estão esses sentimentos quando se vê uma barbaridade destas???

    ResponderEliminar
  5. Correio da Manhã?

    Não é o jornal que nós, emigrantes, somos reféns?

    O único jornal que chega até aqui?

    O jornal que nos ensina a ter a opinião que ele gosta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém é refém de um jornal, Teresa. Principalmente, numa altura em que por muito baixo custo se pode ter acesso a vários títulos.

      Eliminar
    2. Estas frases são da sua amiga Anfitrite e não minhas. Eu leio os jornais alemães.

      Eliminar
  6. Como o Carlos NUNCA compreende aquilo que eu comento:

    "Carlos, em quando vejo um blogue em que o autor segue o 31 da armada, nem abro porque já sei que me vou irritar com canalha extremamente reaccionária. Eu admito criticas de quem tem categoria para isso, mas quando vejo animais a uivar fico triste também. Porque será que a Teresa nãp vê por exemplo o blogue ladrões de bicicletas ononde pelo menos podia aprender alguma coisa sobre Economia porque há lá gente com opinião própria sem ser tendencioso. Infelizmente por mais aculturados que estejam é o mal de muito português que vive no estrangeiro, porque só lêem o correio da manhã, como eu vi em Toronto, em Bruxelas Bélgica e em vários outros lugares, que era o único que lá chegava, num instante e com fartura e assim ficaram reféns, assim como dos da zona que têm a opinião que ele s gostam."

    Compreende AGORA o meu primeiro comentário?

    Eu leio somente os jormais alemães.

    Por curiosidade, quero informar que o blogue Ladrões de Bicicletas é que segue o Armada 31 e não eu.

    ResponderEliminar