terça-feira, 6 de junho de 2017

Não, senhor ministro!



Depois do escândalo do Convento de Cristo, soube-se hoje que a directora dos Jerónimos (sim, aquela que há dias proporcionou uma visita guiada a Madonna, após o encerramento do Mosteiro)  é vice presidente de uma associação SEM FINS LUCRATIVOS que recebe pagamentos de empresas autorizadas pela directora  dos Jerónimos a utilizarem espaços do Mosteiro para festas privadas.
Confusos?
Então agora surpreendam-se... 
Apesar de a associação utilizar logística do mosteiro e receber dinheiro pela utilização de um espaço do estado, sem que haja qualquer protocolo entre as duas entidades, a Direcção Geral do Património Cultural (DGPC) não vê um cêntimo destas actividades.
Perante estes factos estranhei as declarações do ministro da cultura na AR. 
Limitar-se a dizer que os problemas da bilhética podem vir a ser investigados pela DGPC, não deixa ninguém tranquilo. 
Das duas uma: ou as instalações do Estado estão a ser utilizadas com o conhecimento e conivência do governo, ou por iniciativa das próprias dirigentes, sem conhecimento da tutela. 
No primeiro caso, o ministro deve retirar as ilações necesárias e demitir-se.
Caso as instalações estejam a ser cedidas à revelia e, pelo menos no caso dos Jerónimos, para benefício de terceiros, então a demissão das directoras do Convento de Cristo, Jerónimos e DGPC devia ter sido imediata. 
A prestação do ministro da cultura foi à moda da Tugalândia: o MP está a investigar o caso. 
Já que o ministro não assume responsabilidades, sacode a água do capote e chuta para o MP, espero que a culpa não morra mais uma vez solteira, ou as investigações se prolonguem por tanto tempo, que a justiça perca qualquer eficácia.
 No caso (improvável) de o processo ser célere  e se encontrarem os culpados que as penas aplicadas não se limitem a exonerações e pedidos de indemnização que nunca serão pagos pelas culpadas. Que sejam sentenças exemplares e dissuasoras.
Já agora, também espero que as responsáveis  não  sigam o exemplo daquela comediante americana (despedida da CNN por fazer uma piada sobre Trump) nem se armem em Kalimeras  e venham dizer que estão a ser perseguidas porque são mulheres. 
É que há gente capaz de tudo, neste país de brandos costume.
 E siga a rusga! O regabofe continua...

5 comentários:

  1. Não sei o que comentar. E não é por, desta vez, ser uma mulher. É porque estou farta, este país tresanda de aldrabões, burlões, gente fina e menos fina que engana e explora os outros. Todos os dias há notícia de mais uma fraude. Será que é saco sem fundo? Há sempre mais um? Estas notícias desanimam-me demais.

    ResponderEliminar
  2. Inacreditável. Usam os Monumentos nacionais para dar festas particulares? E na hora das obras de manutenção, quem paga?
    Os contribuintes, claro. Já não sei se vivemos num país de brandos costumes se num país de total corrupção e compadrio.
    Bem fez o meu filho em ir daqui para fora. Diz ele que não se quer reformar, um dia, num país que lhe suga o que ganha com o suor do seu trabalho, para na velhice lhe dar uma côdea.

    Boa noite, Carlos.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Vou já usar aqui as Ruínas de São Paulo na minha festa de aniversário.
    Ai de quem me contrarie! :)

    ResponderEliminar