quinta-feira, 22 de junho de 2017

E ainda nos acusam de gastar dinheiro em vinho e gajas?


O edifício do Parlamento  Europeu, em Bruxelas, foi inaugurado há menos de 25 anos. Estive lá poucos dias depois da inauguração, durante uma escala entre Macau e Lisboa. 
Pareceu-me  ( e ainda parece) um edifício catita, mas soube-se agora que a estrutura não cumpre as regras europeias e as obras necessárias custarão cerca de 30 milhões de euros.
Mãos à obra? Nem por isso.
Os deputados europeus acham um desperdício fazer obras, pelo que estão a equacionar a hipótese da construção  de um edifício de raiz que custará 430 milhões. Ou seja, 14 vezes e meia mais.
À primeira vista, esta opção já parece um desperdício mas, se tivermos em atenção que os deputados europeus têm um outro edifício em Estrasburgo, onde só vão uma vez por mês ( o que custa aos contribuintes europeus a módica quantia de 200 milhões de euros anuais) começamos a pensar se não estaremos perante um caso notório de desperdício.
Na opinião dos parlamentares europeus, cujas mordomias são pagas pelos contribuintes europeus, não.  
Para a cambada de parasitas que se apascentam à custa dos contribuintes europeus, desperdício é  aumentar as pensões e os salários de quem vive na miséria.
Vão mas é pentear macacos, ou brincar aos médicos e enfermeiras. Mas façam essas brincadeiras com os atributos de que a Mãe Natureza vos dotou e não com o nosso dinheiro!

6 comentários:

  1. Este disparate à escala Europeia não é mais do que um reflexo exacto do que sucede e se repete milhões de vezes em tantas instituições e empresas e serviços... Andou tudo na mesma escola e tem tudo a mesma ideia de gestão...

    ResponderEliminar
  2. Uma vez vi na tv um programa onde se falava do custo que tem rodarem os eurodeputados para uma reunião que é mensal e parece que de cada vez num lugar diferente - e é um despesão transportar os senhores mais os secretários e dossiers e mais não sei quantas coisas. Perante isto, julgo que aquela gente não sabe o que é amar a Deus de beiço caído. Por mim, façam o que bem entendam, mas com dinheiros próprios. Entrevi a razão por que tanta gente quer ser deputado em Bruxelas. E sim, também vi o edifício e pareceu-me para lá de bem, tem até um bonito jardim ao lado. Não sei se é público, vedaram-me a entrada.
    E depois querem que a gente entenda a boa vontade que por lá grassa. O que farão daquele que existe, deve ser para porem as pastas e dossiers. Ou para irem dormir a sesta descansados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bea, Dantes até havia deputados portugueses, dos outros não sei, que dormiam nos gabinetes, para embolsarem todo o dinheiro e não pagar a hotéis. Acho que isso deixou de ser permitido, mas actualmente não sei. É por isso que eu tenho pena dos "Feios, Porcos e Maus" do Scola, porque mesmo assim esses ainda sofrem.

      Eliminar
  3. Este é um dos grandes problemas da UE, Carlos.
    Um desperdício brutal de dinheiro, em todo o tipo de mordomias, ao mesmo tempo que puxa as orelhas a quem efectivamente paga essas mordomias por ser muito gastador.

    ResponderEliminar