domingo, 21 de maio de 2017

Those were the days (44)




Terminou hoje a 50ª edição do Rali de Portugal.
Confesso que a prova me passou ao lado mas hoje, quando ouvi anunciar  o nome do vencedor, recordei com alguma nostalgia a primeira edição, realizada em outubro de 1967.
Nas primeiras edições o Rali durava quase uma semana, começava  em 10 ou 12 cidades europeias até os concorrentes se juntarem num ponto comum. Era então que o Rali começava “a doer”. As classificativas começavam  no norte e  terminavam na louca noite de Sintra, depois de várias etapas que chegavam a ter 1000 quilómetros!
Eu não era grande apreciador do desporto automóvel, mas lembro-me  perfeitamente da loucura que foi aquela primeira edição.
Estava nas vésperas de me emancipar do colo familiar (viria nesse mesmo ano para Lisboa mas, por aqueles dias, estava a aguardar a transferência de Coimbra, onde inicialmente me inscrevera por pressão dos meus pais, que me queriam mais perto de casa) e o Rali de Portugal foi uma prova de fogo. Com um grupo de amigos fanáticos por automóveis, acompanhei a prova do primeiro ao último minuto. Quase não íamos à cama, comíamos mal e quase sempre em restaurantes apinhados de adeptos absolutamente fanáticos.
Nos dois anos seguintes  apenas fui à noite de Sintra, mas o entusiasmo diminuiu consideravelmente.
Lembro-me, no entanto, que o Rali terminava na madrugada de domingo nas arcadas do Estoril ( onde actualmente tem início o Rali de Portugal Histórico) mas, naquela época, estava longe de imaginar que 50 anos depois haveria de morar nessas arcadas.

2 comentários:

  1. A vida é assim, entremeia voltas e surpresas não programadas.

    ResponderEliminar
  2. Fui durante alguns anos ver a prova na Lousã.
    Depois perdi o interesse.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar