domingo, 14 de maio de 2017

Por falar nisso...

Não esqueçamos que a brilhante vitória de Salvador Sobral só foi possível, porque a irmã Luisa escreveu ecompôs  aquela bela canção a que Salvador deu vida. É da mais elementar justiça lembra-lo nesta hora de sucesso, para não cometer o mesmo erro de outros.
Na hora de comemorar o tetra, os responsáveis ( e a maioria dos adeptos?) benfiquistas esqueceram-se do nome de Jorge Jesus, obreiro de metade desse sucesso. 
É por isso que tenho muito orgulho em ser portista. No meu clube nunca se esquecem os nomes de todos os que contribuem para os sucessos do clube.
Já agora, devo acrescentar que tenho pena de quemnão  gostou ou não conseguiu emocionar-se com Amar pelos Dois. Deve ter uma vida triste...

2 comentários:

  1. Pela primeira vez gostei mesmo de uma música que venceu o Eurofestival.
    Sem espinhas!!

    ResponderEliminar
  2. Eu, que sou Benfiquista, dou de barato que Jorge Jesus é talvez o principal responsável pelo regresso do Benfica às vitórias no campeonato. Rui Vitória tem sabido conduzir bem um projeto que não pôs de pé. Até aí, tudo bem. Sucede que a forma deselegante como Jesus primeiro deixou o Benfica e depois procurou humilhar Rui Vitória é algo que também não se esquece. Pelo que, relativamente ao triste estado em que se encontra hoje o Sporting, eu só posso dizer que é mesmo muito bem feito... Quanto ao FCP bem, parece quem nem o Espírito Santo lhe valeu. Se bem me recordo, o último (grande) treinador que ganhou o campeonato para o FCP chama-se Vítor Pereira e o Porto não lhe soube dar o devido valor. Agora queixem-se,,,

    ResponderEliminar