quinta-feira, 11 de maio de 2017

Memórias em vinil (CXXX)

As DOCE foram um caso sério da música portuguesa e devem grande parte do seu sucesso ao Festival da Canção RTP.  A canção que interpretaram não era a melhor, mas a novidade de uma banda feminina foi um trunfo decisivo para a vitória:"Bem Bom".


A nível do Festival da Eurovisão, recuemos a 1958. A canção vencedora foi "Dors, mon amour" de André Claveau que, presumo, ninguém conhece.
Já a canção italiana, interpretada por Domenico Modugno que ficou em 3ºlugar e ganhou um Grammy, tornou-se um sucesso mundial que, 60 anos volvidos, toda a gente conhece. 

2 comentários:

  1. As Doce já tinham algum passado com a ajuda do cid, do Sergeant e do Zé Brito. Coitada da Fá hoje está um farrapo porque sofre de psoríase, quase generalizada.
    O Carlos pensa que é o único cota. Ainda esta a semana passada pus no meu FB Claudio Villa com Chiatara Romana, que foi o único que ganhou, juntamente com Modugno, quatro festivais de Sanremo e mais outros. Hoje já não ouvimos tenores a cantarem no Eurofestival. Ainda hoje me meneio ao som do Volare.

    ResponderEliminar
  2. Lá vou eu ao meu baú de memórias.
    Quando estavam no auge da fama as Doce foram actuar à Queima das Fitas em Coimbra.
    Muito álcool, muita boémia, e alguém tem a brilhante ideia de as violar.
    E foi o cabo dos trabalhos com elas a fugirem com aqueles trajos que todos conhecemos, com um monte de malucos a persegui-las, com a PSP a tentar pôr cobro à loucura.
    Não fui um dos perseguidores.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar