quarta-feira, 19 de abril de 2017

Os meninos à volta da cerveja...


Na última semana tive a oportunidade de perceber o erro de interpretação que fizemos relativamente à frase de Dijsselbloem.
Na verdade, vi  centenas de calvinistas ( especialmente alemães) agarrados à cerveja todo o dia, mas muito raros os que se agarravam às mulheres.
Afinal, o que separa os povos do sul dos calvinistas e huguenotes do norte, é "apenas" uma questão de prioridades.

12 comentários:

  1. Os alemães não são calvinistas, são sim, LUTERANOS​!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para o caso, isso não interessa nada,Teresa :-)

      Eliminar
    2. Interessa sim, Carlos!

      Este ano festejamos 500 anos de REFORMAÇÃO.

      Eliminar
  2. Are "latin lovers" better?

    NOT AT ALL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ia responder, Teresa, mas a Anfitrite já deu a resposta.

      Eliminar
    2. Como sempre fugi dos homens latinos, nunca tive a oportunidade de saber a qualidade dos amantes latinos.

      Nunca me faltou carimbo e afecto do meu "amante" alemão, só lamento que tenha partido tão cedo.

      Eliminar
    3. CARINHO e não carimbo. Scheiße, tablet.

      Eliminar
  3. Porque é que as pessoas não têm a coragem de dizer na nossa língua certas frases? Por alguma razão as nórdicas não querem outos lugares para passar férias...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Of course, Anfitrite. Eu, que vivi por aquelas bandas, ouvi muitas vezes os seus lamentos sobre o desinteresse e, sobretudo, dos nórdicos pelos prazeres carnais mas, sobretudo pela falta de afecto que põem nas relações. O que as encantava não era o "desempenho", mas sim o carinho com que os latinos as tratam. As coisas mudaram, eu sei, mas mesmo assim...

      Eliminar
    2. O Carlos até esquece a violência doméstica que reina em Portugal, mesmo praticada por policiais, politicos e intelectuais.

      Eliminar