sexta-feira, 24 de março de 2017

The Go-Between




Só uma vez escrevi aqui sobre Julian Assange. Foi para esclarecer os leitores que desconfiava das suas motivações. Condenei a actuação do governo inglês em relação ao Equador, por ser uma prepotência, mas sempre considerei Assange um fascista e nunca um democrata que quisesse desmascarar quaisquer desvios das democracias.
As investigações do FBI e as  últimas revelações sobre a influência da Rússia nas eleições americanas  tiraram-me quaisquer dúvidas. 
Resta agora saber quais as ligações entre Assange e Snowden e qual o papel deste ao serviço de Putin.

2 comentários:

  1. Nunca me pareceu que esses dois crâneos informáticos fossem santos de altar. Mas tive alguma esperança - deixei a porta aberta, podia ela querer entrar - de que fossem, pelo menos, pessoas bem formadas. Porque não vejo altruísmo puro em gente tão cheia de expediente e que tanto arrisca.
    Tem a palavra o passado. E também o futuro que sobre ele se constrói.

    ResponderEliminar