sexta-feira, 10 de março de 2017

Quem vos avisa, amigo é...




Escrevi recentemente vários posts sobre Inteligência Artificial, manifestando as minhas preocupações sobre  os efeitos que pode desencadear na espécie humana ( Quem não leu, pode agira fazê-lo aqui, aqui  ou aqui. E também aqui).
Alguns leitores desvalorizaram as minhas preocupações - que surgiram depois da criação desta ONG pelo proprietário da Tesla. Alguns amigos engenheiros zombam das minhas preocupações, mesmo quando lhes mostro a notícia de que o Pentágono tem um meticuloso plano de acção  para combater um ataque de zombies.
Ainda não pude testar se mantêm a mesma posição depois deste aviso de Stephen Hawking: A IA pode matar-nos sem querer
Pelo sim, pelo não, talvez fosse bom parar um bocadinho para pensar, porque a pior atitude possível perante determinadas situações é reagir com um encolher de ombros e dizer " no pasa nada".

7 comentários:

  1. ainda não tinha lido os antigos posts do Carlos acerca do assunto, mas já tinha uma opinião formada sobre isso e, embora não pareça um argumento que se possa levar a sério, eu puxo sempre do filme "Exterminador". Não está assim tão longe, em termos de tecnologia, a realidade em que vivemos daquela que vemos no filme.
    Já agora, Carlos, a citação do Stephen Hawking e a hiperligação de "um ataque de zombies" vai dar à mesma notícia... suponho que foi um lapso =)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Há tempos, assisti a uma série de documentários da autoria do conhecido Morgan Freeman. Chamava-se "A história de Deus" e aconselho tanto! Em cada episódio, ele abordava as ideias fundamentais das principais religiões (Cristianismo, Islamismo, Budismo, Induísmo e até a religião dos antigos Egípcios e Maias, etc...). Um dos episódios era dedicado à Morte e ele visitou em Nova Iorque um desses laboratórios que trabalham com tecnologias de ponta, onde tinham conseguido transferir para um robô a "consciência" da falecida esposa de um dos cientistas. Uma coisa horrenda. Aberrante. deixo o link, a cena em questão é a partir do minuto 38: https://www.youtube.com/watch?v=zvsTjilMD34

    ResponderEliminar
  4. Há tempos, assisti a uma série de documentários da autoria do conhecido Morgan Freeman. Chamava-se "A história de Deus" e aconselho tanto! Em cada episódio, ele abordava as ideias fundamentais das principais religiões (Cristianismo, Islamismo, Budismo, Induísmo e até a religião dos antigos Egípcios e Maias, etc...). Um dos episódios era dedicado à Morte e ele visitou em Nova Iorque um desses laboratórios que trabalham com tecnologias de ponta, onde tinham conseguido transferir para um robô a "consciência" da falecida esposa de um dos cientistas. Uma coisa horrenda. Aberrante. deixo o link, a cena em questão é a partir do minuto 38: https://www.youtube.com/watch?v=zvsTjilMD34

    ResponderEliminar

  5. Desde que vi "2001..", "Encontros Imediatos do 3º. Grau", "E.T." e porque não "Laranja Mecânica" espero tudo. Os últimos com demasiada tecnologia já não me prendem. Mas isso não e preocupa porque espero já cá não estar. Não é egoísmo mas eu acho que vivi na melhor época da História. A partir de agora só tenho pena dos jovens que cá ficam (alguns já nem parecem humanos). Por isso também não me preocupa as conversas fiadas da natalidade, porque tudo isto irá dar uma grande volta. Haverá uma nova ordem natural ou artificial das coisas e das pessoas. Se não conseguimos prever o dia de amanhã porquê preocuparmo-nos com o Fundo da Segurança Social daqui a 30 anos. A previdência social foi criada ainda não há um século, temos estado a gastar o que foi capitalizado até ao 25 de Abril, porque depois começaram os direitos e o esbanjamento. E a origem do "Monte Pio" também data do século XV, portanto salve-se quem puder.

    ResponderEliminar
  6. Muita gente não se pode salvar. O que dá pena. Todos somos pessoas.

    ResponderEliminar