segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Tantas vezes vai o cântaro à fonte...




Temo que os receios aqui manifestados tenham mais fundamento do que desejaria. Depois da polémica da TSU, BE e PCP parecem não querer dar tréguas ao governo e, semanalmente, lançam pedras à geringonça, para ver se ela aguenta.
O BE decidiu avançar com uma proposta visando incluir nos quadros da Administração Pública pessoas em regime de outsourcing. É preciso não ter a mínima noção do que é a AP e como funciona o outsourcing para fazer uma proposta tão descabelada.
Já o PCP ameaçou bloquear a  municipalização da Carris, chamando o diploma a debate no Parlamento. Já o PSD salivava com a possibilidade de se aliar mais uma vez a BE e PCP para chumbar um diploma do governo, quando o PCP percebeu no que se estava a meter e recuou nas intenções de pedir a revogação da lei.
Temo que, por força de desconhecerem o ditado popular " Tantas vezes vai o cântaro à fonte que um dia lá deixa a asa", continuem a criar dificuldades à geringonça, acabando por a desconjuntar.
Esperemos que percebam a mensagem da Comissão de Trabalhadores e alguns sindicatos  do Metro, quando pediram ao PCP que não chumbasse a municipalização e manifestavam o seu desagrado à CGTP.
Se não perceberam, ou insistirem na teimosia, os trabalhadores explicarão nas urnas o seu descontentamento.

2 comentários:

  1. É preciso não terem mesmo a noção do que dizem para falarem em integração dos serviços em outsourcing. Conheci um serviço que era feito até ao anterior governo por vários funcionários que minuciosamente analisavam as contas que lhes passavam pelas mãos e que impediam muitas fraudes. O governo anterior resolveu entregar esse serviço a uma entidade privada, para dispensar funcionários, ou falsamente reduzirem as despesas com pessoal. Alguns até se reformaram antecipadamente com duras penalizações. Mas o mais importante aqui é esclarecer que esse serviço passou a ser feito por amostragem, apenas a meia dúzia de casos. E, no entanto pagavam muito mais por esse mau serviço do que à totalidade dos trabalhadores que lhes estavam adstritos, além de outros prejuízos por deixaram de ser detectadas as falhas que existiam.

    ResponderEliminar
  2. Está a ver porque é que esta solução governativa me causava urticária, Carlos?
    O PCP e o BE (sobretudo este) não imprevisíveis, inconstantes, não são partidos de poder mas de oposição.
    Vamos ver no que dá...

    ResponderEliminar