sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ora aqui está uma boa notícia. Ou talvez não...



Desde pequenino aprendi a fazer "previsões" meteorológicas com base na sabedoria popular. Nesse enorme compêndio de sabedoria,  cujas páginas a minha Mãe conhecia de olhos fechados, aprendi, por exemplo, que "Se a Candelária rir está o Inverno para vir. Se a Candelária chorar está o Inverno a acabar."
Traduzido por miúdos, esta expressão quer dizer que se no dia consagrado a Nossa Senhora das Candeias (2 de Fevereiro), estiver sol,  o Inverno está para durar. Mas, se chover, então podemos pensar em arrumar as gabardines e guarda chuvas, porque o Inverno está a acabar.
Ora ontem, o sol, apenas apareceu, timidamente, pela manhã e,  mesmo não tendo chovido grande coisa, tudo indica que o Inverno esteja a dar as últimas.
Se por acaso o Inverno se prolongar para além do final de Fevereiro, não culpem  Nossa Senhora das Candeias, nem me atirem pedras, porque a explicação para o falhanço das previsões está nas alterações climáticas.
E quem contribuiu para que o clima "avariasse" e já não saibamos quando é Inverno ou Verão? Todos nós. Logo, todos somos culpados. Quem nunca tenha tido comportamentos atentatórios do ambiente, que atire a primeira pedra.

7 comentários:

  1. Tem sido no mês de Março que ocorrem as maiores chuvadas. Pelo menos, foi-o em 2001. Aquilo é que foi chover durante semanas a fio...Oxalá o sorriso da Candelária, seja prenúncio de um resto de Inverno «aceitável». :)

    Bom resto de dia, carlos!

    ResponderEliminar
  2. Ah...sorriso, porque não riu nem chorou, of course!

    Janita

    ResponderEliminar
  3. Se ainda ninguém atirou uma pedra não sou eu que o vou fazer.
    Bom fim de semana, Carlos.

    ResponderEliminar
  4. Faz hoje 63 anos que no Algarve caiu o maior nevão de que há memória. Ninguém tinha visto coisa assim.
    Há certas coisas que eu acho piada, quando trabalhava na rua Dom Pedro V gostava de ir à Igreja de São Roque comprar um a vela benzida.
    O tempo de facto sofre as influências do homem. Já nem o "Borda d'água se safa. Mas pelos vistos somos mesmo diferentes. Lá em baixo dizia-se: "Conforme está dia de Santa Maria, assim estão 40 dias"; "Março marçagão, manhã de inverno, tarde verão", "Lua nova trovejada trinta dias é molhada" e outro ainda: "Não há Maio sem trovões, nem burro sem..." De tudo o que menos gosto é do vento, embora morresse de medo com os trovões e ainda hoje sei uma porção de rezas para afastar as trovoadas. Um fim de semana sereno e agradável para todos e em especial para o anfitrião.

    ResponderEliminar
  5. imagens desse dia memorável para as minhas bandas http://www.sulinformacao.pt/2014/02/o-algarve-cobriu-se-de-neve-ha-60-anos/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anfitrite. Tem andado desaparecida! É verdade. Desde que a Flávia Monsaraz deixou o Borda d'Água, aquilo não tem interesse nenhum.
      Tirando o da Santa Maria, conheço todos esses ( e muitos mais).
      Bom FdS.

      Eliminar
    2. Eu tenho vindo sempre aqui só que a força para escrever não é muita. Fico-me pelo comentário mental.

      Eliminar