quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Quem cala consente!

Ontem, em entrevista à RTP 3, Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da economia do governo PSD/CDS, acusou Paulo Portas de traição à Pátria no caso da demissão irrevogável. E fez questão de explicar os fundamentos da acusação.
O CDS saiu em defesa do seu querido ex-lider? Não. Assunção Cristas pediu o apoio do PSD e, esforçadamente, continuou a provar na AR que fez a sua formação política no mercado do Bolhão ( ou similar) e que as peixeiras podem ter aspirações políticas.
Em tempo: Acabo de ouvir MFL na TVI a fazer um ataque fortíssimo a PSD e CDS, por causa da posição que estão a tomar no caso Centeno. A ex- presidente do PSD deixou no ar a ideia de que há "interesses" escondidos por detrás destes bandalhos de direita. E todos sabemos que interesses são esses. Como Portas, também a varina e o quadrúpede invertebrado estão a trair o país, pondo os seus interesses pessoais acima do interesse nacional.
E não me venham com a dsculpa de que são todos iguais. Nunca vi o PS tomar posições que colocassem em risco o país. PCP e BE fizeram-no uma vez, mas arrependeram-se.

2 comentários:

  1. Senti vergonha ao ver na AR o comportamento histérico e canalha dos deputados da direita. Porque não se lembram do que a Marilú disse sobre os swaps? Essa sim mentiu descaradamente. Este apenas tentou aprovar um decreto-lei que permitisse satisfazer a vontade do gestor que queria ganhar bem e queria escolher à sua vontade os gestores em quem confiasse. E pelo menos conseguiu que a UE aprovasse a reforma da CGD, coisa que esta corja não quer porque sempre quis privatizá-la. Trata-se mesmo de traição à Pátria.

    ResponderEliminar
  2. Não estou a acompanhar mais este fait divers da política portuguesa.
    Sinceramente não me desperta qualquer interesse ou curiosidade.

    ResponderEliminar