sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Memórias em vinil (55)


Christophe é mais um cantor e compositor francês de  sucesso relativamente efémero. Teve alguns grandes sucessos nos anos 60, com destaque especial para "Les Marionettes" (1966) e "Aline" (1965), produzidas por Jean Michel Jarre.
A dependência do álcool e das drogas, porém,  ofuscaram a sua carreira.
Talvez não haja nenhuma razão para isso, mas sempre o comparei com Michel Polnareff, cujas canções e  musicalidade vocal me parecem bastante similares. Mas às tantas o problema é meu, que sou bastante duro de ouvido.
Boa noite e bom fim de semana.
Amanhã cá vos espero para o Chazinho semanal.

4 comentários:

  1. Aline eu ouvi montes de vezes e gosto muito da voz suave do Cristophe. O Polnareff só me lembro do "love me please". Eu também sou dura de ouvido mas gosto muito mais duma música cantada em francês. Era tão doce naquela altura.

    ResponderEliminar
  2. Não acredito que estou a cantarolar ao som desta melodia – a parte da letra que ficou retida neste recanto da memória esquecido há tantos anos. Bons tempos em que ouvia canções francesas.
    Ora vamos lá ouvi-la de novo!
    : ))
    Merci, Carlos!!!

    ResponderEliminar
  3. Não gostei por aí além. E não o conhecia. Mas, se o tenho ouvido aos 18, ficava fã.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite:)
    Efetivamente Christophe teve uma colaboração com Jean Michel Jarre, mas na década de 70 com os álbuns "Les Paradis Perdus" e "Les mots bleues", os quais, através de una sonoridade rock/pop mais complexa, trouxeram o cantor de volta à ribalta em França. Curiosamente Jarre, hoje sobejamente conhecido pela sua música eletrónica, trabalhou como letrista (!) nesses dois álbuns...

    ResponderEliminar