quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Estavas linda Inês posta em sossego




Estava garboso  Rui posto em sossego,
Colhendo dos erros de arbitragem doce fruto
Naquele engano de alma ledo e cego
Que a cegueira clubística não deixa durar muito.

Com voz estudada e  altaneira
(  ou seriam só peneiras?)
Acusou quem culpa os árbitros 
(das derrotas)
De usar uma  desculpa grosseira
( e  a batota)
Para esconder os erros tácticos
(e as asneiras)

Com discurso sobranceiro
Mandou um subtil recado:
Aprendam a jogar primeiro
Para ganhar no relvado

Os árbitros são porreiraços
Ganham a vida a julgar
Se algum tem um percalço
Não os devemos culpar

Mas no Algarve a noite  foi fatídica
E o sabor da derrota enfim provou.
Sem fazer uma autocrítica,
O dedo ao árbitro o Rui apontou.

A sentença chegou inclemente
E três dias depois, à beira  Sado,
Foi o Benfica derrotado novamente.
Adivinham quem foi culpado?
(O árbitro, evidentemente...)

Moral da História: pimenta no cú dos outros é refresco.




3 comentários:

  1. Parafraseando o poeta.
    Muda-se a diferença de pontos, muda-se o discurso.

    ResponderEliminar
  2. E quem diz que não houve falta sobre o André Silva que vá ao oftalmologista rapidamente.

    ResponderEliminar