sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Caderneta de cromos (56)


Paulo Rangel defendeu Relvas no caso da licenciatura falsa, deu cobertura às sucessivas mentiras de Passos Coelho e Marilú, foi para Estrasburgo fazer "queixinhas" de Portugal por causa da geringonça, mas com a maior desfaçatez e falta de vergonha, vem exigir a demissão de Mário Centeno a quem acusa, com base no "diz-se diz-se" e  sem ter provas, de ter mentido ao Parlamento.
E como lata é coisa que não lhe falta, diz que Mário Centeno devia demitir-se por uma questão de ética.
Paulo Rangel, que parece filho do cruzamento  de um cano de esgoto com uma escarradeira, a falar de ética, é coisa que não lembraria ao Diabo.
Fica por isso muito bem nesta caderneta de cromos.

Sem comentários:

Enviar um comentário