sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O governo de Trump visto à lupa

O da segurança interna era o responsável por Guantanamo. Garante que todos os que passaram por lá são culpados.
O ministro da defesa é um tipo que tem como alcunha Mad Dog. Não é ironia. Foi despedido por insistir diariamente em invadir o Irão.
O VP é um fanático evangelista. E é tido como o são.
Há um attorney general – PGR equivalente a ministro da justiça, a quem foi recusado um cargo como juiz federal por ser racista.
Há o sec do ambiente, figura máxima do lobby anti-EPA (a agência que fiscaliza o ambiente) que propôs fechá-la.
Há o neurocirurgião que recusou ser ministro da saúde por não ter competências administrativas e aceitou ser o ministro do urbanismo.
Há a bilionária encarregue das pequenas e médias empresas, mulher do Vince McMahon da WWE (Wrestling) e maior doadora da campanha.
Para combater Wall Street, o SEC do Tesouro, um dos responsáveis máximos da Goldman Sachs em 2008, CEO de um banco especializado em lucrar com o subprime.
O SEC - equivalente a ministro dos negócios estrangeiros – trabalhava na EXXon e era responsável pelas relações /subornos na Rússia.
O cérebro político é o Steve Bannon, primeiro entre iguais, racista, xenófobo, misógino,homofóbico. E estas são qualidades para ele, o nazi.
E depois há o Trump. Que continua produtor executivo do The Apprentice, porque “gosta de trabalhar nos tempos livres”.


( Recebido por e-mail)

3 comentários:

  1. É caso para escrever: "Sem comentários".

    ResponderEliminar
  2. Como serão os criminosos Obama e antecessores, "vistos à realidade"? Será que Trump conseguirá ser pior?
    Se conseguirem leiam:
    Obama, o criminoso de guerra carrasco de mulheres e crianças

    por Paul Craig Roberts

    Não há dúvida de que o presidente Barak Obama é um criminoso de guerra assim como o são seus responsáveis militares e de inteligência e a maior parte da Câmara e do Senado.

    Obama foi o primeiro presidente a manter os EUA em guerra durante toda a duração dos seus oito anos de mandato. Só em 2016 os EUA despejaram 26.171 bombas sobre festas de casamento, funerais, jogos de futebol de garotos, hospitais, escolas, pessoas nas suas casas e a andarem nas ruas e agricultores a lavrarem seus campos em sete países: Iraque, Síria, Afeganistão, Líbia, Iémen, Somália e Paquistão.
    http://blogs.cfr.org/zenko/2017/01/05/bombs-dropped-in-2016/

    O que tem esta administração a mostrar pelos oito anos de intervenções militares ilegais em sete países, nenhum dos quais representava um perigo para os EUA e contra nenhum dos quais os EUA declararam guerra? O terrorismo foi criado pelas invasões estado-unidenses, nenhuma das guerras foi vencida e o Médio Oriente foi consumido no caos e na destruição. O ódio mundial aos Estados Unidos ascendeu a uma altura recorde. Os EUA são agora o mais abominado país da terra.

    O único propósito destes crimes é enriquecer a indústria de armamentos e avançar a insana ideologia neoconservadora da hegemonia mundial estado-unidense. Um minúsculo punhado de pessoas desprezíveis foi capaz de destruir a reputação dos Estados Unidos e assassinar milhões de pessoas, enviando ondas de refugiados de guerra para os EUA e a Europa.

    Chamamos a isto "guerra", mas elas não são. São invasões, em grande parte a partir do ar, mas no Afeganistão e no Iraque de tropas sobre o terreno. As invasões por ar e por terra são inteiramente baseadas em mentiras flagrantes e transparentes. A "justificações" para as invasões mudaram uma dúzia de vezes.

    As perguntas são: se Trump se tornar presidente, será que os crimes maciços de Washington contra a humanidade continuarão? Se assim for, será que o resto do mundo continuará a tolerar a perversidade extraordinária de Washington?
    ___
    Não gostaram? Claro, Chomsky está cheio de razão com as suas 10 Estratégias de Manipulaçao Mediática!!!

    ResponderEliminar