segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Memórias em vinil (46)



Acabámos a semana com uma canção italiana e por lá continuamos no início desta.
Na primeira metade dos anos 60, a canção italiana rivalizava com a francesa e o Festival de Sanremo marcava os sucessos da época estival.
Em 1962, uma italiana sardenta e minorca lança-se no meio musical com uma canção sensaborona (La partita di pallone - O jogo de futebol) mas no ano seguinte  cativa os adolescentes com esta canção " Come te non c'e nessuno" ( vídeo acima)
Em 1964 tem outro grande êxito (Cuore, no link abaixo) mas nos anos seguintes não obtém grandes sucessos fora de Itália. Em 1968 casa e vai viver para a Suíça, desaparecendo praticamente do meio musical, embora vá aguentando a carreira até 2005, ano em que anuncia o abandono e se candidata ao Senado. Sem sucesso


3 comentários:

  1. Lembro este nome por ser moda o cabelo à Rita Pavone.

    ResponderEliminar
  2. Anda hoje canto "la partita de paloone" - Perché perché
    la domenica mi lasci sempre sola
    per andare a vedere la partita
    di pallone... Assim como cantava:

    Mio cuore,

    tu stai soffrendo,


    cosa posso fare per te....

    Quando vejo as pessoas dizerem que não conhecem ou não se lembram fico com a sensação que devo ser um dinossauro. Eu que ainda canto Maysa, com saudade,(Eu sei que vou te amar; A noite do meu bem..,) Dolores Duran (A noite do meu bem). "Risque" cantado por tantos, para não falar de outros que tantos deveriam lembrar. Quando eu digo que canto estou apenas a dizer que recito as letras de cor. Para já não falar das "Cartas de Amor" e tantas outras que eu pedia para a minha mãe cantar, porque ela sim tinha uma bonita voz. Até era chamada para cantar nas novenas...

    ResponderEliminar