segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Lamento, mas ainda não estou farto...


Lamento, mas ainda não estou farto de escrever e falar sobre Trump.
Admito que haja aqui e ali algum empolamento  nas redes sociais,  mesmo alguns exageros, mas o pior que poderá acontecer ao mundo é ficarmos indiferentes à espera do que aconteça  a seguir.
Espanta-me, outrossim, que as pessoas não se indignem, nem se apavorem, com as medidas anti-imigração de Donald Trump, ou com as suas declarações sobre a NATO, a ONU, ou a UE.
Pior ainda, assusta-me que as pessoas as aceitem passivamente. A História mostra-nos à saciedade exemplos de ditadores que floresceram graças à passividade dos povos.  Um exemplo? Fossem os portugueses um bocadinho menos egoístas e Salazar não teria governado 40 anos.
Não caio na parvoíce de dizer que Trump é igual a Hitler, ou que é fascista. Não é. O problema é que a forma como ele governa e olha para o mundo favorece a ascensão da extrema-direita, bem pior do que Trump.
Já admiti aqui, até, que a vitória de Trump pode ser benéfica para a Europa. O que não consigo é ficar indiferente ao que se está a passar nos EUA.
O meu posicionamento na vida nunca foi o de " Andar à toa na Vida/ A Ver a Banda Passar". Nunca contribuirei para o "saneamento" de um louco que coloca em perigo a paz mundial. Sempre lutei pelos meus ideais e continuarei a fazê-lo enquanto para isso tiver forças e discernimento. Se isso chateia alguém, paciência.
O decreto anti imigração não me afecta pessoalmente, mas não consigo ficar indiferente ao facto de Trump ter proibido, sem qualquer aviso prévio, a entrada nos EUA  de cidadãos com autorização de residência no  país.
Talvez seja parvoíce minha, mas sou sensível aos efeitos que esta medida provoca, como a separação de famílias, ou o esboroar, em minutos, de uma vida construída com esforço. 
Sim, preocupo-me quando imbecis, que não medem as consequências dos seus actos, chegam a presidentes de um dos mais poderosos países do mundo e desatam a fazer decretos que destroem a vida de famílias inteiras. 
Se me indignei contra as medidas imbecis de Passos Coelho, devo calar-me em relação a medidas ainda piores, só porque os EUA ficam longe?  Peço desculpa, mas ainda consigo ver os efeitos globais de uma medida tomada, digamos... localmente.
Trump assusta-me porque, não sendo Hitler, toma medidas que o recordam e animam a extrema direita a prosseguir a sua escalada anti imigração e contra os refugiados. (Veja-se o que ainda hoje se passou no Québec. Apesar de Trudeau ser um líder exemplar, o efeito Trump atravessou a fronteira do Canadá)
Trump assuta-me porque está a colocar em perigo a paz no mundo.
Devo dizer, no entanto, que igualmente me assustam ( e muito!...) as pessoas que  manifestam a sua indiferença, ou se dizem cansadas de ouvir falar de Trump.

16 comentários:

  1. Mas eu estou farta de ouvir, toda a gente em pânico (não é só o Carlos). Com calma, daqui a 6 meses falamos... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqui a seis meses porquê? Espera-se algum atentado, ou uma conversão de Trump no seguimento das cerimónias do centenário de Fátima, Teté?
      Ele ainda hoje demitiu a juíza e a procuradora que tentaram opor-se à medida de proibição de entrada de muçulmanos e admitiu não respeitar os Direitos Humanos enquanto for presidente e a Teté diz para ter calma? Por amor da santa!

      Eliminar
  2. É o que penso também, mesmo estando longe, temos pelo menos de indignar-nos e continuar a falar!
    por isso não vou ficar farta de ouvir e ler...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não o fizermos, ou somos preguiçosos, ou indiferentes, ou ingénuos, Gabi.

      Eliminar
  3. PARA MIM É MUITO PIOR QUE HITLER, porque as situações são completamente diferentes, O mundo actual nada tem a ver com o mundo da subida ao poder do Adolfo. Adolfo também foi um homem e suas circunstancias. Quem detinha o dinheiro e até as lojas de venda de alimentos e outros?, OS JUDEUS.a populaça quando se revolta pode mudar tudo. A guerra entre os vendedores judeus e os compradores arianos e evangélico foi brutal, levando ao assalto das lojas Depois tudo se tornou uma bola de neve. A guerra interessava e muito aos americanos numa GRANDE DEPRESSÃO com milhões de desempregados agencias de noticias, cinema para emitirem contestantes comentários sobre o malvado do Hitler. e a campanha intoxicante continua e continuará ate eu morrer porque os judeus querem vingança muita vingança sobre os descendentes dos alemães que perseguem por todo o mundo. Se em PORTUGAL EXISTISSEM PESSOAS ASSIM AINDA ESTÁVAMOS A MATAR OS DESCENDENTES DO SALAZARISMO DA LEGIÃO PORTUGUESA DA MOCIDADE PORTUGUESA E DA PIDE.Posso ser morta pela MOSSAD porque nunca sabemos se são informadores, mas que se lixe, eu quero ser livre e ter a minha opinião. Sou contra o ódio e o rancor especialidade dos portugueses, como se pode ler nos comentários e nos blogues. .

    ResponderEliminar
  4. PARA MIM É MUITO PIOR QUE HITLER, porque as situações são completamente diferentes, O mundo actual nada tem a ver com o mundo da subida ao poder do Adolfo. Adolfo também foi um homem e suas circunstancias. Quem detinha o dinheiro e até as lojas de venda de alimentos e outros?, OS JUDEUS.a populaça quando se revolta pode mudar tudo. A guerra entre os vendedores judeus e os compradores arianos e evangélico foi brutal, levando ao assalto das lojas Depois tudo se tornou uma bola de neve. A guerra interessava e muito aos americanos numa GRANDE DEPRESSÃO com milhões de desempregados agencias de noticias, cinema para emitirem contestantes comentários sobre o malvado do Hitler. e a campanha intoxicante continua e continuará ate eu morrer porque os judeus querem vingança muita vingança sobre os descendentes dos alemães que perseguem por todo o mundo. Se em PORTUGAL EXISTISSEM PESSOAS ASSIM AINDA ESTÁVAMOS A MATAR OS DESCENDENTES DO SALAZARISMO DA LEGIÃO PORTUGUESA DA MOCIDADE PORTUGUESA E DA PIDE.Posso ser morta pela MOSSAD porque nunca sabemos se são informadores, mas que se lixe, eu quero ser livre e ter a minha opinião. Sou contra o ódio e o rancor especialidade dos portugueses, como se pode ler nos comentários e nos blogues. .

    ResponderEliminar
  5. I am with you 100%!!!
    ou seja... totalmente de acordo!! : )))

    ResponderEliminar
  6. Tinha acabado de jantar! Desviei o olhar da fotografia. : ))

    ResponderEliminar
  7. Faz o Carlos muito bem em não se calar! Quem cala consente...
    A foto é que me dá um nó no estômago. Era essa a ideia?
    Causar-nos a foto a mesma repugnância que nos provoca a figura do "coiso nojento"?...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No ano passado (creio), deixaram a cabeça de um porco na mesquita onde houve o tiroteio no sábado, na cidade de Quebec.

      Eliminar
    2. Realmente era, Janita, mas não tenho culpa que aquele coiso tenha cabeça de porco

      Eliminar
  8. Vamos lá a ver, há pelo menos duas formas de estar farto de Trump. Uma é "não me chateiem com esse fulano, não me interessa o que faz, estou noutra". E parece-me muita inconsciência.

    E outra é "estou farto do homem, de cada vez que abre a boca sai asneira, tinha saturação dele desde antes de ser presidente, pessoas de mau carácter dão-me urticária e não o suporto; tenho medo do que possa acontecer ao mundo durante o seu mandato." Julgo que seja mais aceitável pensar assim.

    Uma é a inconsciência do "deixa andar e tanto me faz como se me deu"; a outra é repúdio de gente sem qualidade. Em geral e no particular. Badalar esse repúdio o mais que é possível é apenas questão de opção quanto ao extravasar da natural indignação. No caso concreto, não creio que mude mais que a disposição de quem repudia que, eventualmente, alivia.
    E espero sinceramente não ter razão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas a verdade é que as pessoas que dizem estar fartas de ouvir falar de Trump acreditam que ele se vai regenerar e, além disso, que os EUA ficam muito longe e é lá com eles, nós não temos nada a ver com isso.

      Eliminar
  9. Tem a certeza de que há mais de cem pessoas portuguesas a pensar como diz? É que toda a gente sabe do poder dos EUA e da sua influência no mundo, não é segredo.

    ResponderEliminar