segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Digam lá se não valeu a pena

Foto de Nuno Correia


Quando se iniciaram as obras do eixo central, entre o Marquês de Pombal e a rotunda de Entrecampos, assistiu-se a uma avassaladora onda de protestos.  Medina foi acusado de  estar a transformar a vida dos lisboetas num Inferno por razões meramente eleitoralistas. Ninguém acreditava que os prazos fossem cumpridos ( o final das obras estava previsto para Março)  e a direita avisava que as obras se iam prolongar até ao Verão.
A histeria da direita acabou por provocar um adiamento das obras da Segunda Circular, essenciais para tornar aquela via mais transitável.
Ontem ( com mais de dois meses de antecedência) as obras do Eixo Central estavam concluídas. A praça do Saldanha está com o belíssimo aspecto que se vê na foto, as avenidas da República e Fontes Pereira de Melo estão mais arejadas e quando as árvores crescerem e as esplanadas se encherem de gente, ainda vão ficar mais apetecíveis. 
As obras devolveram aquela zona da cidade aos cidadãos e faço votos que o mesmo aconteça noutras zonas. As cidades devem ser cada vez mais para as pessoas e não para os automóveis.
Ficaria bem à direita ( nomeadamente a Assunção Cristas, que tanto criticou as obras e tanto dinheiro gastou em cartazes de protesto) reconhecer a qualidade da intervenção efectuada e admitir que o Eixo Central está agora muito melhor do que antes. 
Pessoalmente, espero que as obras da Segunda Circular arranquem o mais depressa possível. E, já agora, que a polícia cumpra o seu dever de ser intransigente com os automobilistas que estacionam em segunda e terceira fila, em cima de passeios e noutros locais onde prejudicam o trânsito e os peões.
Lisboa é linda, mas pode ser muito mais apetecível, se os automobilistas forem mais educados e, sobretudo, mais civilizados.

9 comentários:

  1. Saldanha, Avenida da República e Avenida Fontes Pereira de Melo estão mais bonitas e melhores.
    Com a devida permissão, sugiro um olhar para o cruzamento da Av. República com a Duque D'Ávila.

    ResponderEliminar
  2. Há imagens de drone?
    É que... vê-se melhor!

    Fiquei a pensar no débito de carros cá da minha linha...
    e que tal requalificar o transporte ferroviário, adquirir mais material circulante e adequar os efectivos das oficinas da EMEF?

    Imagina quantos passageiros perdeu a linha de Cascais que não encontram outra solução do que ir para Lisboa de carro? Imagina?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Salvo erro, a linha de Cascais perdeu metade dos seus passageiros em 20 anos. Eu continuo ( quase sempre) a usar o comboio para ir a Lisboa e sou acérrimo defensor do transporte ferroviário. Dito isto, o que tem o seu comentário a ver com o post? Se quer dizer que as obras atraem mais carros para Lx está enganado. Mas provavelmente não é isso. De há uns tempos para cá o Rogério entrou em estado de negação? É que os seus comentários não têm nada a ver com os posts. Digo eu...

      Eliminar
  3. Diz, porque fica com a impressão que eu entrei em estado de negação... na verdade, o que eu quis dizer (e disse) foi:
    - com um drone vê-se melhor
    - que é preciso articular medidas, caso não, uma boa solução (como esta) pode não só ser mal recebida como vir a evidenciar esse desajustamento... (claro que não disse isto assim, mas para bom entendedor...)

    ResponderEliminar
  4. Realmente está muito, muito melhor!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Tenho muitas dúvidas em relação à necessidade de fazer tantas obras ao mesmo tempo, até acredito que algumas sejam/fossem úteis e/ou necessárias...

    Que Lisboa deve ser para os lisboetas, para a malta que aqui trabalha e até eventualmente para os turistas também concordo. O que discordo completamente é do excesso de faixas para ciclistas, em prejuízo das para os veículos. Os transportes em Lisboa são péssimos, não são alternativa para quem trabalha. Ou seja, são, mas piorando significativamente a qualidade de vida, fazendo com que as pessoas se tenham de levantar de madrugada e cheguem a casa tardíssimo, devido aos transportes que não são de fiar. E para quem tem putos pequenos, que os tem de levar e trazer da escola, com mochilas e lancheiras e diabo a 4?

    Já ouvi um crápula dizer que Lisboa era 75% plana e que portanto era tão boa como Amesterdão e outras para as pessoas usarem as bicicletas. Para lá das mentalidades e da falsidade das 7 colinas serem assim tão planas, sempre gostaria de saber como é que querem pôr uma população muito envelhecida a pedalar por Lisboa. É por essas e outras que as "maravilhosas" ciclovias estão todas às moscas, excetuando nalguns domingos de verão e aqui ao pé de Monsanto...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me parece um exagero tanta ciclovia, Teté. E essa ideia de que Lx é uma cidade plana fez-me rir. Os transportes têm de melhorar, sim. E muito, mas para isso é necessário fazer uma frevolução no trânsito. Uma pescadinha de rabo na boca, enfim. Beijinhos

      Eliminar