segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Bem aventurados os pobres de espírito..




Tenho lido nas redes sociais "desabafos" sobre a morte de Mário Soares que me deixam descoroçoado e triste. Quer pelo ódio que revelam, quer pela agressividade, quer pela sua proveniência. A maioria deles são escritos por retornados/as ressabiados e ignorantes.
Devo dizer que compreendo muito bem a dor e a revolta de quem se viu despojado, de um momento para o outro, de tudo o que construiu ao longo  de uma vida. Ou de quem perdeu as suas raízes e referências, sendo obrigado a (re) construir a sua vida num meio que muitas vezes lhe era hostil.
Não compreendo é que essas pessoas ressabiadas e prenhas de ódio, despejem a sua ira sobre Mário Soares, como se ele fosse o culpado da descolonização. 
Como é possível que, 40 ano depois, ainda haja gente que não perceba que depois do falhanço do plano Spínola, da falta de coragem de Marcelo Caetano, da morte de muitos jovens enviados para África como carne para canhão e do isolamento a que estávamos votados a nível mundial, por continuarmos renitentes a acabar com o  colonialismo, a única solução era aquela?
Mas, mesmo admitindo que haveria outra solução, não terão essas pessoas percebido que, no ponto em que as coisas estavam, o mais provável teria sido haver uma chacina que vitimaria muitos daqueles que conseguiram reconstruir as suas vidas em Portugal e, felizmente, continuam vivos?
E não conseguem, por um minuto, distanciar-se dos seus egos e perceber que foi Mário Soares quem conseguiu evitar uma guerra civil em Portugal depois do 25 de Abril?
Lamento o comportamento acéfalo, imbecil e carregado de ódio de alguns escritos. Revelam muita ignorância.  Não peço a essas pessoas carregadas de ódio, para manifestarem a sua gratidão a Mário Soares, se curvarem perante o maior e mais genuíno português, que amava o seu país e a ele "deu" quase toda a sua vida, sem necessitar de usar pins na lapela.Seria pedir o impossível, pois há gente que não é capaz de ver a dimensão de um estadista, mesmo tendo estado na Fonte Luminosa a pedir-lhe que os "livrasse dos comunistas".
São gente pequenina,reles, ingrata e ignorante. Gostava, apenas, que essas pessoas fossem capazes de ver a realidade, e não se deixassem cegar pelo ódio. E nem é pedir muito. É só pedir-lhes que reconheçam isto

13 comentários:

  1. Concordo com TUDO o que disse, Carlos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chama ignorante e mostra várias vezes a sua própria ignorância.... vá se lá saber porquê...

      Eliminar
  2. Serei pequenina, acéfala, reles, ingrata e ignorante, mas não gostava do Mário Soares, não é por ele ter morrido que vou passar a gostar, e sempre vivi em Lisboa, não sou retornada. Dito isto, não bebi champanhe ou comemorei a sua morte de alguma forma, isso sim é de gente reles que não respeita sentimentos alheios.

    Mas que já estou um bocado farta de só ouvir panegíricos, como se o homem fosse um santo,também é verdade. E vindo de gente anteriormente insuspeita de qualquer simpatia pelo homem/político. Será que é para aparecerem no boneco? :P

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que me conste, não escreveu palavras de ódio contra MS no FB, nomeadamente na página de João Soares, Teté. E, como diz, também não celebrou a sua morte. É a esses ( na maioria retornados) que chamo "pequeninos, acéfalos, reles, ingratos e ignorantes". E para mim são, pelas razões que explico no post. Beijinhos

      Eliminar
  3. eu fiz um longo aprendizado, nos largos anos de militar compulsivo, onde se inclui mais de 2 anos em Angola. Deu para perceber muito bem porque reagem assim os retornados.
    Não há nada a fazer-lhes. Como diz o "outro", é esperar que morram...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já que deseja a morte aos outros que lhe toque a si primeiro.....era engraçado

      Eliminar
  4. As opiniões são sempre de quem as dá. E essas só desfiguram os autores. Não bolem com Mário Soares.

    ResponderEliminar
  5. até porque, segundo consta, pouco ligava ao que os outros pensavam dele. É claro que não era nenhum santo e se enganou por vezes. Mas mesmo isso, neste momento, é educado não empolar. Parece-me.

    ResponderEliminar
  6. Dê um salto lá ao meu espaço e leia o Anselmo Borges, Carlos.
    Diabolizar ou santificar Mário Soares é simplesmente imbecil.
    Esquecer o que ele fez, de bom e de mau, é puro negacionismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro
      Conheci Anselmo Borges e o irmão Vítor em Fevereiro de 1977, semanas antes de partir para os EUA. Conheço por isso, muito bem a sua maneira de pensar. O que ele escreve nesse artigo é, simplesmente, o óbvio.
      Ninguém é santo nem diabo, não há pessoas puras. Como já aqui escrevi, Soares tinha muitos defeitos. Felizmente. Isso não invalida que tenha sido o português mais importante do século XX. Ignorar que lhe devemos a Liberdade, o Europeísmo e o reconhecimento de Portugal pelo mundo é pura ignorância ou ingratidão. Sem Mário Soares, Portugal não seria o país que é hoje. Razões suficientes para justificar a minha homenagem ao grande Homem que foi Mário Soares. E eu nem sequer sou PS. Sou apenas um português que ama a LIBERDADE e está grato a MS por ter lutado por ela.

      Eliminar
  7. Quem critica Mário Soares pela descolonização é por pura ignorância a maldade. ele era apenas o ministro do negócios estrangeiros(e apenas recebeu os grupos em Alvor, mais nada) comandado por vasco gonçalves. Os grupos eram uns canibais que nem nas datas da independência chegaram a ficar de acordo e o resultado
    viu-se. Em Angola cada um declarou a independência à sua maneira e Portugal só reconheceu um depois de vários países o terem feito. Tinha o seu interesse aprenderem alguma coisa sobre isso. Mesmo sem gostarem de Mário Soares, quem não o admira devia ter morrido de fome, porque foi ele que com o seu conhecimentos, ajudas de Olaf Palm e outros, conseguia arranjar dinheiro para o BdP abrir no dia seguinte depois dos desmandos do PREc, mas disso ninguém fala. INGRATOS e IGNORANTES! Deviam estar-lhe gratos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muita gente que fala da descolonização e escreve disparates, sem nada saber sobre aquele período. São os que escrevem "de ouvido". Não tenho qualquer apreço por essa gente.

      Eliminar
  8. Não! A culpa não é de Soares, é de Portugal no seu todo! Enquanto Portugal não assumir as suas responsabilidades por ter abandonado os Portugueses das suas "provìncias ultramarinas" a sua sorte, a sua História ficará para sempre manchada! Para mim Soares é fixe e os Portugueses têm para com ele uma dívida impagável. Mas Portugal também tem uma dívida para com os seus cidadãos que abandonou. E o senhor devia ter mais respeito pelos seus concidadãos que abandonou. Muitos ficaram sem os bens de uma vida de trabalho, mas outros foram chacinados. Em Moçambique houve um genocídio que foi escondido. PORTUGAL FOI O ÚNICO PAÍS QUE, PARA ALÉM DE TER ABANDONADO OS SEUS CIDADÃOS, NUNCA LHES FEZ JUSTIÇA! ANTES CONTINUA A APELIDA-LOS PEJORATIVAMENTE DR RETORNADOS. ELES QUE RECONSTRUIRAM UM PAÍS CAMPONIO E ATRASADO POR DÉCADAS DE FASCISMO:https://www.facebook.com/groups/dosmarti/permalink/1208028282567305/

    ResponderEliminar