terça-feira, 8 de novembro de 2016

Durmam tranquilos

A única certeza que tenho sobre as eleições americanas, é que amanhã o mundo estará pior, porque a maior nação do mundo ( e, possivelmente, a que  tem mais ignorantes por metro quadrado) irá escolher para a Casa Branca um louco ou uma idiota útil.
A histeria a que se chegou na facecoisa, a propósito das eleições americanas não é surpreendente, mas um bocadinho preocupante. Sei perfeitamente que Hillary é diferente de Trump, mas se ela ganhar não vou abrir garrafas de champagne. E muito menos respirar de alívio. Lamentarei apenas, uma vez mais, que tenhamos chegado a uma situação em que as pessoas já se dão por satisfeitas porque um dos países mais poderosos do mundo vai ser governado por uma mulher medíocre. Estamos cada vez menos exigente,s e fruto disso, ninguém se admire se um dia destes chegarmos à ficção de Houellebecq em " Submissão".
Mas podem dormir tranquilos. O Apocalipse ainda não é esta noite. Mesmo que Trump seja eleito pelos americanos, por incrível que pareça, 2017 traz-nos desafios tão ( ou mais) perigosos para a Europa e para o mundo, como as eleições americanas. E não me refiro apenas à previsível chegada de Marine Le Pen ao Eliseu, nem ao crescimento da extrema direita na Europa. Estou também a lembrar-me desta terrível ameaça.
Durmam, pois, tranquilos. Enquanto podem. O pior ainda está para vir e, enquanto os destinos do mundo não forem definidos pela escolha entre o vencedor do Big Brother e o da Casa dos Segredos, ainda há esperança.

Notícia de última hora (Actualizada)

Pedro Dias, o fugitivo de Aguiar da Beira, acabou de se entregar às autoridades.
Resultado:
A notícia relegou para segundo plano as conversas de entretém sobre as eleições americanas que os canais informativos(?) do cabo tinham encetado.
Haja esperança! Já não é só o futebol que se sobrepõe à política, na tv tuga, dita informativa.

Já não há pachorra...


...para tanta falta de vergonha


Um dia destes, um tipo lembra-se de escrever no curriculum que é licenciado em direito, porque a mãe exerce advocacia...

Mas que grande galo!



Por estes dias, o galo da Joana Vasconcelos tem sido vedeta nas redes sociais.pela sua desmesurada corpulência.
Creio tratar-se do mesmo galo que esteve meses a cacarejar na praia do Leme (Copacabana) para assinalar os 450 anos da fundação do Rio de Janeiro
Sabendo que equanto lá esteve, decorreu o processo vergonhoso do impeachment de Dilma  e desconhecendo a serventia de se ter instalado agora na Ribeira das Naus, aqui em Lisboa, cheguei a temer que tivesse vindo para ficar até acabar com a geringonça. Felizmente, enganei-me. No final do mês  o galo da Joana vai para o tacho. Ainda bem, porque este galo parece não ser de bom agoiro...