segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Em noite de Bruxas, todo o cuidado é pouco


Se esta noite virem duas abóboras  iguais a estas tenham cuidado!



Podem ser elas  a preparar alguma para vos tramar



Estes estão-se a rir à brava da última partida que elas pregaram



Não há geringonça que os extermine?

Eu quero lá saber se  tem pareceres jurídicos a dizer que não tem de entregar a declaração de rendimentos!
Se fosse Homem e tivesse dignidade, apresentava a declaração sem que lha pedissem. Ao recusar fazê-lo, invocando um parecer jurídico, reduziu-se à dimensão de homenzinho. Um vermezito à volta da gamela, como tantos outros que por aí pululam e a geringonça, em vez de exterminar, protege.

E se for verdade?

Há muita gente que considera Michael Moore um idiota e um fanático.
Pessoalmente, tenho grande admiração por ele, porque denuncia muitas coisas que as pessoas classificam como um exagero alarmista. Na maioria dos casos não são. De qualquer modo, espero que desta vez ele se engane.
Mesmo sabendo que Hillary é um enorme retrocesso em relação a Obama, pensar que Trump pode chegar à Casa Branca é aterrador!

Cristas, a pata choca e as licenciaturas

Eu ia escrever um post a condenar a atitude do adjunto e do chefe de gabinete que aldrabaram o seu curriculum, inventando licenciaturas que nunca obtiveram.  Obviamente demitiram-se... ou foram demitidos.
Ia dissertar sobre a falta de ética dos autores das fraudes, ironizar com o facto de o chefe de gabinete, ( que inventou duas licenciaturas) estar a candidatar-se ao Guiness, chamar-lhes aspirantes a Relvas e aconselhar os ministros a serem mais criteriosos na escolha do pessoal de gabinete.
Acontece, porém, que quando ia começar a escrever o post, vejo a notícia de que Cristas pede a demissão do ministro da educação, por ter contratado para o gabinete um fulano que aldrabou as habilitações.
Eu acho que é preciso ter uma lata sem limites e uma falta de vergonha no focinho,para uma ex-ministra que conviveu alegremente no governo com Miguel Relvas, um licenciado de equivalências na Universidade do amiguismo, vir reclamar a demissão do ministro por causa da fraude de um "colaborador".
Cristas baixou ao nível da pata choca. Sem nível.
E foi assim que um post que devia ser uma forte crítica ao governo, se transformou numa crítica a Cristas. A culpa não é minha. É dela. Enquanto não souber fazer oposição a sério, está a afundar o CDS. 
Em tempo:para dizer que a corja de pulhas com carteira de jornalista, que fazem política no Observador e vendem como jornalismo, mentiu ao escrever que Tiago Brandão Rodrigues sabia da licenciatura falsa de Nuno Felix. Essa escumalha tinha apenas, como propósito, provocar a revolta da opinião publica contra o ministro da educação.Vao-se lavar, badalhocos!

Coisas importantes ( menos importantes e nulas)

"5. Querer saber onde está Mário Nogueira para o picar para sair para a rua com a Fenprof. Querer humilhar o PCP e o BE “por estarem tão mansinhos” e picá-los para quebrarem com fragor a “paz social”. Queixar-se de que não há manifestações e chorar de saudades pela desocupação do espaço em frente das escadarias da Assembleia. Apelar à CGTP para que faça greves e motins como fazia “antes”. Dizer com mágoa, como Marques Mendes, “quem os viu e quem os vê”, com saudades de “quem os viu”. A lista do ridículo seria interminável. Ó homens! Eles têm uma coisa muito mais importante do que a rua — ganharam poder político. Ó homens! E, muito mais do que isso, têm poder político para ajudar melhor a “rua” do que se viessem para a rua. Aliás, é isso mesmo que, dia sim, dia não, vocês dizem. Então, em que ficamos? “Quem governa é o BE”, ou o “PS meteu-os no bolso”? Não foram “eles” que perderam poder, foram vocês. E sempre podem ocupar o vazio da rua e das manifestações, está lá à disposição. E não há causas mobilizadoras? Ou não há gente?
( Pacheco Pereira in Coisas importantes, coisas menos importantes e coisas nulas)