quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Entendido?

Quando escrevo posts com críticas aos taxistas não estou a afirmar que os taxistas são todos iguais. 
Quando critico a justiça, não se infira que estou a dizer que os juízes são todos incompetentes.
E o mesmo se diga em relação aos médicos, aos trolhas, aos professores e  a todas as profissões do mundo. Em todos os sectores de atividade há bons e maus profissionais.
 Não me lembro  é de outra actividade  em que  os profissionais, durante uma marcha de protesto, tenham querido linchar pessoas, alegando estar a defender os seus direitos.
 Já agora, também não me lembro de lideres de uma classe profissional admitirem que pode haver violência durante os protestos e quase apelar a que isso aconteça, escudando-se numa alegada culpa do governo.
Mas pronto, nem todas as profissões têm o Correio da Manha como Código de Conduta...

Eight days a week


Por estes dias está em exibição "Eight Days a Week", um filme sobre  o fenómeno " The Beatles".
Só por ser sobre os FabFour, decidi que iria ver.É que estes patuscos revolucionaram o mundo da música, e isso aconteceu quando eu era  ainda um imberbe adolescente.
Apesar do seu sucesso planetário, The Beatles mantiveram sempre os pés bem assentes na terra.
Nunca se assumiram como estrelas e insistiam que apenas estavam a fazer o que lhes dava gozo ( Foi por terem deixado de sentir esse gozo, que a banda se desfez cedo demais?).
O filme não dá resposta a essa pergunta, mas mesmo assim vale a pena ver. Quanto mais não seja para relembrar ( os mais velhos)  ou ver ( os mais jovens)o que é, realmente,  um sucesso estrondoso.  
Hoje, qualquer miúdo que vá a um desses concursos de caça talentos e recolha algumas opiniões positivas dos jurados, julga-se logo uma estrela.
Nos últimos 20/25 anos, os putos nascem com um conviccímetro incorporado, que distorce a realidade.
Não era assim no tempo dos "Beatles". Nem no meu...
Tenham um excelente fim de semana

Um orçamento de esquerda?

Centeno diz que o OE 2017 é de esquerda. Não sei o que é esquerda para o ministro das finanças, mas  o  OE 2017,embora  seja melhor e mais justo do que os dos últimos 5 anos, talvez seja o possível, mas não é  obviamente de esquerda.
E já agora, quando vemos estes escândalos, também não  podemos dizer, alegremente, que temos  um governo de esquerda. Temos, apenas, um governo mais justo do que o anterior.E isso, reconheça-se, já não é mau...